CONVOCAÇÃO! O 12 TEM QUE SER MUITO MAIOR DO QUE O 15!

 CAROS AMIGOS

CONHECI, NO ÚLTIMO DIA 20 DE MARÇO, EM SÃO PAULO, TRÊS REPRESENTANTES DO MOVIMENTO BRASIL LIVRE, EM GRANDE MEDIDA, UM DOS GRANDES RESPONSÁVEIS PELO SUCESSO DO MOVIMENTO CÍVICO DE 15 DE MARÇO NA AVENIDA PAULISTA.

AO CONHECÊ-LOS E OUVI-LOS, ENCHI-ME DE ORGULHO DA NOSSA JUVENTUDE E DA SUA DETERMINAÇÃO.

AO MESMO TEMPO, SENTI VERGONHA POR TODAS AS VEZES EM QUE, NA INTIMIDADE DOS MEUS PENSAMENTOS, PENSEI EM DESISTIR DA TAREFA DE “PASSARINHO DIANTE DO INCÊNDIO” QUE A MINHA CONSCIÊNCIA ME TEM IMPOSTO.

CONFESSO QUE ESTAVA CÉTICO EM RELAÇÃO À CONVENIÊNCIA DE VOLTARMOS À RUA NO PRÓXIMO DIA 12 DE ABRIL, MAS, VENDO A CONVICÇÃO DAQUELES  JUVENS, MUDEI DE IDÉIA E ABOLI, EM DEFINITIVO, O PESSIMISMO DO MEU VOCABULÁRIO E DAS MINHAS ATITUDES!

CONVENCI-ME DE QUE ESTAMOS NO CAMINHO CERTO E QUE VAMOS CONQUISTAR OS OBJETIVOS INICIAIS QUE A SALVAÇÃO DA PÁTRIA EXIGE DE NÓS TODOS, PORQUE OS SALVADORES DA PÁTRIA SOMOS NÓS!

O PROJETO DE PODER E A PERMANÊNCIA DO PT NO GOVERNO, JUNTO COM TODOS OS CORRUPTOS QUE EM TORNO DELE GRAVITAM, ESTÃO COM OS DIAS CONTADOS!

SE NOS EMPENHAMOS E NOS ARRISCAMOS PARA GARANTIR O FUTURO DE NOSSOS FILHOS E NETOS, TEMOS QUE ENXERGAR NOS JOVENS QUE SE TÊM COMPROMETIDO COM INTELIGÊNCIA, GARRA E URBANIDADE PELAS MUDANÇAS O PRÓPRIO FUTURO LUTANDO POR SI MESMO, CORRIGINDO O QUE A NOSSA OMISSÃO EM OUTROS TEMPOS  PERMITIU QUE ACONTECESSE.

NÃO PODEMOS DEIXAR DE ESTAR COM ELES EM MAIS ESTA EMPREITADA.

TEMOS QUE PEGAR JUNTOS, COM O MESMO ENTUSIASMO, COM A MESMA POSTURA, COM A MESMA URBANIDADE, COM A MESMA VEEMÊNCIA, SEM VIOLÊNCIA, SEM VANDALISMO, MAS COM MUITO MAIS GENTE E MUITO MAIS CONVENCIDOS DE QUE AS NOSSAS CORES SÃO O VERDE, O AMARELO, O AZUL E O BRANCO E CONSCIENTES DE QUE PRECISAMOS VENCER, UNIDOS, TODOS OS DESAFIOS QUE A SALVAÇÃO E A MUDANÇA DO BRASIL NOS EXIGEM.

NÃO SOMOS MERCENÁRIOS BOLIVARIANOS, HAITIANOS OU CUBANOS, NEM TAMPOUCO ARRUACEIROS, SOMOS BRASILEIROS E PATRIOTAS.

EU, MINHA FAMÍLIA E OS MEUS AMIGOS ESTAREMOS NA ESPLANADA E NA FRENTE CONGRESSO TANTAS VEZES QUANTAS FOREM NECESSÁRIAS PARA MUDAR O BRASIL!

PEÇO-LHES QUE FAÇAM O MESMO, PARA QUE EM 12 SEJAMOS MUITOS MAIS DO QUE EM 15!

PELO BRASIL E PELA LIBERDADE!

BOA MARCHA A TODOS!

GEN BDA PAULO CHAGAS

Publicado em Atualidades | 1 comentário

Circunstâncias e condicionantes para uma intervenção militar

Caros amigos

A Constituição Federal (CF), indevidamente elaborada por políticos e anistiados políticos, não eleitos para este fim, é essencialmente permissiva e pródiga em direitos.

Seu foco principal foi a criação de artifícios para proteger os  cidadãos, particularmente os próprios políticos, da força coercitiva do Estado e, objetivamente, a inibição de qualquer iniciativa semelhante a que, em 1964, frustrou a segunda tentativa de tomada do poder pelos comunistas.

Não vem ao caso, neste texto, analisar se assim foi feito para criar uma nova oportunidade para o golpe da extrema esquerda ou não, mas o fato é que criou e que estamos vendo e sofrendo as consequências de uma nova ameaça!

Dentre essas, ressalta o aumento exponencial da criminalidade, decorrente da ampliação das possibilidades de sair-se impune da prática de crimes e de contravenções, isto é, em meio aos caminhos desenfiados e às artimanhas protelatórias introduzidas nos processos  judiciais,  a prática criminosa passou a ser compensatória.

A melhor prova dessa afirmação são os escândalos de corrupção que, no momento, ameaçam a saúde econômica, política, social e moral da Nação.

Coerente com o foco estabelecido, em seu artigo 142, a CF/88 diz, claramente, que o emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem deve ser fruto da iniciativa de um dos poderes da República e não dos próprios militares.

 É preciso, no entanto, ter em mente que o texto constitucional foi elaborado logo após o término dos governos militares, período em que a ação autoritária do governo se fez necessária para garantir a segurança pública e institucional, a ordem, o cumprimento das leis e a própria democracia, objetivos do movimento de 1964.

Os militares, buscando recuperar-se do desgaste sofrido no período, voluntariamente, alhearam-se do processo político. Atitude que se prolonga para além do exigido pela consolidação do prestígio e da confiança que nunca deixaram de merecer.

Em silêncio prolongado, deixam, no entanto, de atender à demanda da sociedade por referências e horizontes confiáveis que, devido à sua reconhecida formação moral e ao seu inquestionável comprometimento com a Pátria, seriam, no momento, as melhores fontes de orientação para o exercício da cidadania.

Esta carência tem induzido um grupo significativo de brasileiros a propugnar por sua volta ao poder através de uma intervenção cuja iniciativa, constitucionalmente, não lhes cabe, todavia, a lei da lógica torna lícito inferir que o DEVER patriótico sobrepõe-se a qualquer outro QUANDO e SE o nível de deturpação da ordem chegar a ameaçar a SEGURANÇA DA PÁTRIA.

Neste caso, todo o espectro de danos causados por uma “intervenção militar” apequena-se diante do mal maior causado pela incúria, pela incompetência ou pela falsidade de propósitos dos homens e das mulheres escolhidos para defender o interesse, o patrimônio e o futuro da Nação.

O acompanhamento cerrado e circunstanciado da conjuntura e dos atos e fatos ocorridos dentro e fora do País e a precisão do momento e da real necessidade de uma “intervenção militar” ao arrepio do espírito da constituição é, portanto, dever adicional de quem tem sobre seus ombros a responsabilidade pela DEFESA DA PÁTRIA.

A minha formação, o meu conhecimento dos  Soldados e de seus Comandantes e a confiança daí decorrente permite-me tranquilizar diante da ocorrência dessas circunstâncias e condicionantes!

Gen Bda Paulo Chagas

Publicado em Atualidades | 31 Comentários

Comentário sobre a performance dos jograis Rossetto e Cardozo (*)

Caros amigos

Foi simplesmente ridícula e sem conteúdo a “apresentação” dos ministros Miguel Rossetto e José Eduardo Cardozo, dando resposta à estrondosa manifestação da sociedade em repúdio ao governo que representam e ao partido que os abriga.

Tiveram o caradurismo de anunciar, de boca cheia, que a governanta Dilma Rousseff está para anunciar “firmes medidas” de combate à corrupção. Logo ela, cuja inclusão entre os denunciados do mais escabroso caso de desvio de recursos públicos da história é, aparentemente, apenas uma questão de tempo.

Por outro lado, as “medidas” a serem anunciadas dificilmente atenderão às expectativas da população, já que serão o mesmo que aceitar as sugestões de uma raposa para prevenir o roubo dos ovos e das galinhas do galinheiro!

Os jograis da corte petista tentaram ainda encantar a platéia com a cantilena do “diálogo com a sociedade”. Mas a que tipo de diálogo estará disposto um governo que ameaça a sociedade com a violência de um “exército” como o do Stédile e que tem como modelo e meta a democracia bolivariana, praticada “até a demasia”, por Nicolás Maduro, na Venezuela?

No último domingo, o mundo assistiu à maior demonstração de repúdio a um governo jamais vista em Terras de Santa Cruz, no entanto, para o divertido Sr Rossetto, os protestos, embora legítimos, envolveram apenas as pessoas que não votaram em Dilma, o que, pelo gigantismo do efetivo envolvido, em comparação com a infimidade do grupo de mercenários reunidos dois dias antes para apoiá-la, permite associar a afirmação à suspeita de que tenha realmente havido fraude na eleição que a manteve no poder!

Para o prestidigitador Rossetto, são ilegítimos o golpismo, a intolerância e o impeachment que, agora, agridem a democracia, todavia, se perguntado sobre a legitimidade de outros movimentos, tipo “Fora Collor” ou “Fora FHC”, liderados por seu partido, obviamente, pela rapidez da manipulação retórica, burlando a atenção da coerência, afirmaria o contrário.

Cardozo, no papel de “porquinho bufão”, elogiou, admirado, vis-a-vis do comportamento antagônico registrado nos movimentos do seu partido e do “exército de gafanhotos” do Stédile, a legalidade e o respeito com que foram realizadas as manifestações que o levaram, às pressas, à presença da apreensiva governanta, para “bolar” um roteiro para a patética “performance” que ele e seu parceiro de ministério desempenharam na tarde de domingo.

Contrariando seu “dupla”, o Sr Cardozo afirmou que o Brasil está muito longe de golpismos e que o governo está atento e disposto a ouvir a voz das ruas e o som das panelas, em contraste, segundo ele, com a cultura adquirida no período dos governos militares, há cinqüenta anos,  esquecendo (?) de comparar a liberdade de opinião, ainda existente no Brasil, à truculência  do modelo venezuelano que eles querem ver implementado por aqui.

Referindo-se à corrupção na Petrobras, largamente denunciada no Movimento Cívico de 15 de Março, em invejável ousadia, o acrobata das palavras, José Eduardo Cardozo, atribuiu ao governo, claramente envolvido e beneficiado pelo esquema, a responsabilidade pela “descoberta” da artimanha!

Chamou o sistema político-eleitoral vigente de porta de entrada para a corrupção no país. Obviamente que o fez com conhecimento de causa, porquanto foi por ela que o seu partido entrou, ficou e tornou exponencial o dreno dos recursos públicos que hoje são encontrados em todos o paraísos fiscais conhecidos e desconhecidos.

Se agora, que a vaca tossiu e está indo para o brejo, o governo está atento e disposto a ouvir a voz das ruas, aqui vai uma sugestão clara, precisa e concisa como devem ser os bons conselhos:

Colaborem com as investigações em curso na Justiça e no Parlamento e revelem os crimes eleitorais e de corrupção de que têm conhecimento. Renunciem a seus cargos e respondam pelo que fizeram ou deixaram de fazer. Revelem o que sabem sobre a participação do seu “guia espiritual”, Sr Lula da Silva, e da sua (dele) afilhada, Dilma Rousseff, nos ilícitos investigados e saiam, todos juntos, da vida pública nacional com o benefício da delação premiada

Gen Bda Paulo Chagas

(*) Jogral, o mesmo que divertido, burlesco ou risível, era o artista profissional que tanto atuava nas praças públicas, divertindo o público, assim como nos palácios senhoriais, neste caso assumindo o papel de bufão. Ganhavam a vida atuando perante o público, para recreá-lo com charlatanices ou com prestidigitações, acrobacias e mímicas.

Publicado em Atualidades | 38 Comentários

Projeto de poder do PT atingiu o ponto limite da tolerância popular

Nos regimes democráticos, manifestações populares são formas de exteriorização de desagrado que têm por objetivo provocar mudanças em favor do interesse dos manifestantes.

O atual governo brasileiro, em início de mandato, o quarto do que chamo de “era pós-moral” – como consequência de si próprio e dos que o antecederam –, todos sob a égide do Partido dos Trabalhadores, amarga uma onda crescente de manifestações. Até agora, a mais importante delas foi a dos caminhoneiros que, pela abrangência e importância estratégica, pôs em xeque a utilização do sistema viário nacional, o abastecimento e o próprio desempenho de certas atividades e regiões econômicas.

No mesmo embalo, não com as mesmas consequências mas com abrangência e significado político muito maior, organiza-se pelas redes sociais outro movimento popular de protesto e de contraposição ao governo, a realizar-se em 15 de março próximo.

O projeto de poder petista, nos moldes bolivarianos estipulados pelo Foro de São Paulo, colhe os frutos do seu desprezo a regras mínimas de respeito à inteligência e à paciência da sociedade.

Ambição, desonestidade, corrupção, incompetência, demagogia, malversação, mentira, propina, desvio, estelionato, apropriação, dilapidação, impunidade, destruição e outros, sem restrições à imaginação e à criatividade delituosa, são os substantivos que definem a forma escolhida para gerenciar a coisa pública e que, aparentemente, atingiu o ponto limite da tolerância popular!

Os fins populistas, falsamente conquistados, não justificam os conchavos e as negociatas que levaram o Brasil, como um todo, às portas da bancarrota e sua mais importante empresa à quase insolvência no mercado mundial.

O tempo do Partido dos Trabalhadores esgotou-se junto com a transigência da sociedade brasileira, sua grande vítima. O entusiasmo com que os brasileiros finalmente esclarecidos se preparam para o Movimento Cívico de 15 de Março atesta esta afirmação.

Se as manifestações populares, por definição, visam e reivindicam mudanças, estas, para legitimar-se, devem escudar-se na viabilidade e na processualística estabelecidas na Lei Maior.

A importância do movimento de 15 de março será medida pelos efetivos que conseguir mobilizar, pelo comportamento ordeiro dos participantes e pela veemência da demonstração de repúdio ao engodo de que têm sido vítimas.

Deve servir de base e motivo para que os representantes do povo – eleitos para fazer valer a sua vontade, no exercício de seus mandatos e dentro dos limites da legalidade – assumam o bastão da demanda e deem efetividade às mudanças exigidas pelas ruas!

O processo judicial em curso da Operação Lava Jato, pela exemplar seriedade com que está sendo conduzido, pela abrangência e pela gravidade dos crimes financeiros que está a elucidar, certamente trará à luz verdades e evidências que abraçarão o sentimento nacional e que darão respaldo às decisões e às atitudes legislativas que, finalmente, responderão à vontade popular.

Que assim seja!

Publicado em Atualidades | 31 Comentários

O fundo do socavão

Caros amigos

É importante que se diga, e que tenhamos sempre em mente, que só quem sabia de TODA a extensão do dano causado pelo PT ao Brasil eram alguns integrantes do próprio PT, entre eles, em particular, Dilma Rousseff e Lula da Silva.

Com certeza, ao enxergar a “banana” em que se encontra o Governador Rodrigo Rollemberg, do Distrito Federal, Aécio Neves deve estar dando graças a Deus por ter sido roubado nas eleições!

Quem quer que fosse o eleito teria que fazer, de alguma forma, os ajustes que a “Mãe do Caos” está sendo obrigada a fazer!

Ela omitiu a realidade e mentiu descaradamente para conquistar o posto em que, agora, recebe a pressão indignada dos brasileiros que não a queriam lá e dos que, acreditando em suas aleivosias, votaram na mentira e, só agora, descobrem o tamanho do erro!

Todos estamos pagando pela canalhice e só não a querem ver fora do cargo os que com ela serão destronados e que terão que largar as tetas pelas quais sugaram as energias e as riquezas da Nação.

Juntam se a esses sanguessugas os parasitas do “exército do Branca Stédile Leone”, estes vítimas da lavagem ou da construção cerebral que os atoleimou nas madraças  ou transformou em vagabundos, incapazes e invejosos debaixo das lonas dos acampamentos sob o efeito da catequese da “Teologia da Libertação” e da doutrinação jurássico revolucionária do irresponsável João Pedro Stédile!

Os brasileiros terão que amargar, ainda por muito tempo, as consequências da ingenuidade com que caíram na armadilha das promessas de vida mansa, fora da realidade competitiva da própria vida.

Tirar o PT, Dilma e Lula do poder e da vida nacional é uma necessidade do Brasil, mas não será suficiente para fazê-lo chegar a um ciclo virtuoso de crescimento e de desenvolvimento econômico, moral e cultural.

A ação constitucional requerida pelo Movimento Cívico de 15 de Março será o passo decisivo mas não o único da árdua e perigosa caminhada que todos temos pela frente.

Perseverança, trabalho, paciência, vigilância, patriotismo, coragem, honestidade e boas escolhas são as palavras de ordem a orientar o nosso futuro.

Já é hora de entendermos que o amadurecimento político de uma nação é um fenômeno periódico sem atalhos ou aceleradores artificiais, mas uma senoide que envolve muito trabalho, estudo, ensaios e erros.

A dor dos erros ensina a prolongar e a ampliar os ciclos positivos e a reduzir a profundidade e duração das variações negativas.

Os brasileiros estão, aparentemente, chegando ao fundo de um socavão e preparam-se para iniciar um novo ciclo deste processo. Que este seja conduzido pela lógica e não por outra ilusão aventureira propalada por falsos e despreparados profetas!

Gen Bda Paulo Chagas

 

Publicado em Atualidades | 19 Comentários

Apoio a Marcha Cívica do dia 15 de março de 2015

Caros amigos participantes do Movimento Cívico de 15 de março de 2015,

expresso no vídeo cujo link se segue, o meu apoio ao movimento:

http://www.youtube.com/watch?v=SkLxTdzcRvs

Gen Bda Paulo Chagas

Publicado em Atualidades | 28 Comentários

MOVIMENTO CÍVICO DE 15 DE MARÇO DE 2015

CAROS AMIGOS

A OPINIÃO PÚBLICA ESTÁ PARA OS POLÍTICOS COMO A ÁGUA ESTÁ PARA OS PEIXES E PRECISAMOS TORNÁ-LA INSALUBRE PARA OS QUE, COM MÁ FÉ E INCOMPETÊNCIA, ESTÃO DESTRUINDO O BRASIL.

É COM MUITA SATISFAÇÃO QUE CONSTATO QUE A MOBILIZAÇÃO, PREVISTA PARA O DIA 15 DE MARÇO, PROMOVIDA POR GRUPOS ORGANIZADOS NAS REDES SOCIAIS, JÁ ESTÁ TIRANDO A TRANQUILIDADE DO GOVERNO E DOS SEUS MAIS TRUCULENTOS AGITADORES.

JÁ ESTÁ SENDO ATÉ TRATADA COMO  GUERRA PELO APAVORADO SR LULA DA SILVA!

COMO DISSE O JORNALISTA REINALDO AZEVEDO: “NÃO CONCORDO COM AS IDÉIAS NEM COM OS MÉTODOS DELES”!

ESTA DEVE SER A DIFERENÇA DA NOSSA MANIFESTAÇÃO!

PRECISAMOS PRESERVAR A DEMOCRACIA E RECUPERAR A LIBERDADE QUE, NOS DIAS DE HOJE, SÓ SERVE AOS FORA DA LEI E AO ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DE CORRUPTOS E CORRUPTORES.

PRECISAMOS DIZER AO MUNDO QUE NÃO SÃO OS VALORES ÉTICOS E MORAIS DO POVO BRASILEIRO  QUE ESTÃO DESTRUINDO FISICA E MORALMENTE O NOSSO PAÍS.

PRECISAMOS DEIXAR BEM CLARO A TODOS QUE FOMOS VÍTIMAS DE UMA ARMADILHA E DE UM ESTELIONATO ELEITORAL ARQUITETADOS POR UMA QUADRILHA HOMIZIADA DENTRO E FORA DO BRASIL .

PRECISAMOS DEIXAR CLARO AO CONGRESSO NACIONAL E À SUPREMA CORTE DE JUSTIÇA QUE O POVO BRASILEIRO NÃO É CONIVENTE  COM A DESONESTIDADE E QUE ACABA DE SE DAR CONTA DE QUE TEM ERRADO EM SUAS ESCOLHAS E QUE QUER MUDÁ-LAS PELAS VIAS QUE LHE CONFERE A CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

É PRECISO QUE FIQUE CLARO A QUEM DE DIREITO QUE O TEMPO DO DESMANDO, DA CORRUPÇÃO, DO PATRIMONIALISMO, DA IMPUNIDADE, DO POPULISMO E DO PATERNALISMO IRRESPONSÁVEIS ESTÁ ESGOTADO. CHEGOU O FIM DESSE TEMPO!

QUEREMOS, PRECISAMOS E MERECEMOS MUDANÇAS, E VAMOS EXIGI-LAS DO NOSSO MODO, NÃO DO MODO DELES APOIADO NO DESMANDO, NA DESORDEM, NA IRRESPONSABILIDADE, NO DESRESPEITO, NA ILEGALIDADE…

PRECISAMOS PASSAR TODAS ESTAS MENSAGENS DO NOSSO MODO!

NÃO SOMOS VÂNDALOS, RESPEITAMOS O PATRIMÔNIO PÚBLICO E A PROPRIEDADE PRIVADA!

NÓS NÃO SOMOS FASCISTAS, COMUNISTAS OU BOLIVARIANISTAS!

SOMOS BRASILEIROS, DEMOCRATAS, AMANTES DA PAZ, DO DIREITO, DA LIBERDADE E DO RESPEITO À LEI E À ORDEM!

PORTANTO, QUE O MOVIMENTO CÍVICO DE 15 DE MARÇO DE 2015 REFLITA EM NOSSAS ATITUDES TODAS AS CORREÇÕES QUE QUEREMOS VER IMPLEMENTADAS NA VIDA NACIONAL.

QUE A SERENIDADE,  A ORDEM, A RESPONSABILIDADE E O RESPEITO DOS MANIFESTANTES REFLITA A NOSSA DETERMINAÇÃO PARA DAR UM BASTA A TUDO QUE NOS TEM ENVERGONHADO, DIMINUIDO E EMPOBRECIDO COMO POVO E COMO NAÇÃO.

DESEJO AOS HOMENS E ÀS MULHERES DE BEM, QUE, POR CONVICÇÃO DEMOCRÁTICA, PARTICIPARÃO DO MOVIMENTO DE 15 DE MARÇO, PLENA REALIZAÇÃO EM SEUS PROPÓSITOS E QUE DELE SAIAM VITORIOSOS A DEMOCRACIA, A HONESTIDADE, A LIBERDADE E O MÉRITO!

PORQUE NÓS SOMOS MELHORES DO QUE AQUELES QUE QUEREMOS DENUNCIAR E VER FORA DA VIDA PÚBLICA E DEMONSTRAREMOS ISTO, COM VEEMÊNCIA, EM 15 DE MARÇO, LEMBRANDO-OS QUE NENHUMA DITADURA SERVE PARA O BRASIL.

BOA MARCHA A TODOS!

GEN BDA PAULO CHAGAS

Publicado em Atualidades | 20 Comentários