2014 – As marcas do ano que inicia

Caros amigos
Cinquenta anos depois outro ano deverá entrar para nossa história em consequência da ação predatória da esquerda tupiniquim, retrógrada e sem imaginação ou criatividade.
2014 marca o jubileu de ouro do movimento civil e militar que se contrapôs, por antecipação e repúdio, ao assalto comunista ao poder da República, evitando a deflagração de uma sangrenta guerra civil e dando início às operações de guerra irregular, terrorista, para a qual, há muito, se preparavam os fanáticos da utopia totalitária.
O ano de 2014 traz consigo também outras marcas que caracterizam ou caracterizarão mais uma tentativa de tomada do poder, a quarta, pela exploração da ignorância e das desigualdades sociais, mazelas eternizadas como bandeiras de direitos que nunca e em lugar algum os comunistas foram capazes ou tiveram a intenção de eliminar.
A insegurança pública, a violência, a compensação do crime, a impunidade e, principalmente, a omissão do governo marcam a conquista da cifra anual de 50 a 60 mil vítimas fatais.
A incompetência administrativa, a corrupção endêmica, os investimentos sem retorno em países aliados do Foro de São Paulo e a sustentação, entre outras mazelas, da demagogia governamental, tudo às custas de impostos escorchantes, marcam o caos irremediável da economia brasileira.
A irresponsabilidade e o superfaturamento marcam a Copa do Mundo do atraso e da vergonha nacional, a ser realizada sob a ameaça do repúdio popular, da desordem, da insegurança e do vandalismo.
A desmoralização da família, o escracho às normas da moral cristã e o desrespeito à lei, à ordem e à convivência social marcam a exacerbação das manifestações predatórias de anarquistas, vândalos com e sem bandeiras.
A suspeição de fraude cibernética em urnas eletrônicas, a ameaça de baderneiros, de criminosos, comuns e organizados, e a ação de movimentos guerrilheiros, rurais e urbanos, ditos sociais, serão as marcas das eleições presidenciais.
A covardia, a conivência e a deslealdade do governo marcam o desgaste e o desprestígio das Forças Policiais, Militares e Civis, podendo, a qualquer momento, ser motivo ou estopim de paralisação geral em qualquer dos eventos previstos para o ano.
Há mais, muito mais marcas a se juntar ao fatídico repertório de fatos e ameaças que pairam sobre a agenda do ano que inicia e que, certamente, entrará para a história como um dos mais agitados e, quem sabe, sangrentos dos 514 anos de Pindorama!
Nesta sequência e em meio ao caos generalizado, todos sabem, particularmente o governo, principal responsável por todo este descalabro, que somente as Forças Armadas serão capazes de minimizar os danos e pôr alguma ordem na casa, a custa, logicamente, de desgaste e de efeitos colaterais cuja responsabilidade, em qualquer caso, lhes serão atribuídas pela deslealdade e pela covardia dos dirigentes políticos.
Por formação profissional, quero crer que o acompanhamento desta conjuntura e a projeção de cenários catastróficos estejam a orientar e a motivar o planejamento e o preparo para as difíceis e desgastantes operações que o futuro quase imediato lhes reserva.
Mais do que nunca as lideranças militares e as atitudes de liderança e de coragem física e moral serão exigidas ao máximo porque delas dependerá, exponencialmente, o sucesso de mais este desafio que se impõe a Forças que trazem em seus invejáveis currículos nada menos do que a marca exclusiva da vitória!
PChagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

2 respostas para 2014 – As marcas do ano que inicia

  1. jeff disse:

    excelentíssimo senhor gen.: estão plantando um modo totalmente socialista/comunista em nossa sociedade, todos os livros, cartinhas de escola, em todos os meios ,alienando-nos,começo a entrar em desespero por nossa nação, faço curso preparatório e me recusei assistir aulas de historia do brasil é uma vergonha! uma mentira contada mil vezes torna-se verdade. uma vez quando era um recruta ouvir dizer de um major ‘um dia o povo Brasileiro saberá a historia como ela realmente é ” hoje vejo conteúdo fala de “golpe militar ” mais “comissão da verdade” denegrindo a imagem de todas as forças seja federais e Estuais e hoje estamos de certo modo perdendo a credibilidade enfraquecidos constantemente.já temos uma as farc implantada, olhe quem sentou ao lado de nossa presidência Desiré Delano Bouterse na Tribuna de Honra na abertura da Copa um narcotraficante. pode uma coisa dessa? qual a posição das força ? sei que nada disso e novidade para seus olhos. mas por curiosidade qual a posição do club militar ?

    • Caro Jeff, evidentemente que, tanto as FFAA como o Clube Militar, são contrários a estas mentiras que são contadas aos incautos e aos ignorantes e, na medida das suas possibilidades e das decisões dos Comandantes e da Presidência, respectivamente, opõem-se, a esta face da estratégia gramcista. A verdade está a disposição dos interessados. Os argumentos e as evidências favorecem ao entendimento do que realmente se passou neste e em outros períodos da história. Cabe-nos, como você, muito bem o fez, não aceitar passivamente a passagem da mentira quando esta está ao alcance do nosso conhecimento e das nossas possibilidades de reação. Se todos que sabem fizessem como você, os canalhas da mentira institucionalizada não se criariam no Brasil.
      Abraço
      PChagas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s