Na causa da democracia, quem está dispensado?

Caros amigos

A debacle da Suprema Corte, desmoralizada por arranjos tortuosos que transformaram criminosos em vítimas da própria justiça, compromete a crença dos brasileiros nas instituições republicanas e se soma às muitas razões que fazem com que, com frequência e veemência cada vez maior, os Generais sejam instados a intervir na vida nacional para dar outro rumo ao movimento que, cristalinamente, está comprometendo o futuro do Brasil.

Os militares em reserva se têm somados aos civis que enxergam em uma atitude das Forças Armadas a tábua da salvação para a Pátria ameaçada, quando não são eles próprios os alvos do clamor daqueles que já identificam nas imagens dramáticas da capital venezuelana a cor fúnebre do nosso destino.

Ao exercerem seu direito legal de opinar e criticar, os militares da reserva diferem entre si na forma, na intensidade e na oportunidade de uma eventual intervenção militar que venha a dissuadir as pretensões mais ousadas dos dissimulados adeptos da versão “bolivariana” do comunismo de sempre, todavia, são coincidentes e uníssonos no rebatimento de acusações mentirosas que, divulgadas de forma criminosa, visam a criar na sociedade o receio de ter os militares como fiadores da democracia.

Entre os civis esclarecidos é fácil perceber a confiança no discernimento e no patriotismo dos soldados. Todos querem que os Generais “façam alguma coisa”, mas, ainda são poucos os que se dispõem a fazer o que está ao seu alcance. Poucos são os que adotam atitudes concretas e manifestam-se pública, individual e coletivamente, em defesa dos governos militares, escrevendo para os jornais ou protestando contra a hipocrisia e as más intenções das “comissões da verdade”.

No momento atual, a causa da democracia não dispensa o concurso de ninguém. Seria portanto uma importante contribuição se todos os civis que têm as Forças Armadas como última razão da liberdade e a garantia dos fundamentos constitucionais pusessem suas opiniões a público, em artigos, manifestações, textos, “cartas do leitor” e outros recursos do gênero e não apenas em comentários restritos à leitura dos poucos profissionais da mídia que ainda ousam remar contra a correnteza ou dos escribas de mídias sociais que, mesmo comprometidos com a causa, têm apenas seu limitado e débil sopro para tentar enfunar as velas da embarcação.

A opinião pública está dispersa, contudo não é difícil identificar o que rejeita. Também não é fácil definir com quem está e o que quer. Falta-lhe um “norte confiável”. As pessoas de bem, informadas, estão com medo do futuro, acuadas até para reagir e para manifestarem-se pacificamente.

Não basta, portanto, pedir uma atitude dos militares, é preciso que os civis esclarecidos e convencidos do perigo ostentem massivamente suas posições e opiniões e que contribuam para magnetizar a agulha que definirá o novo rumo a ser tomado.

As “Marchas da Família com Deus Pela Liberdade”, programadas para o mês que inicia, são um bom começo para esta soma de esforços e para reafirmar o que, há cinquenta anos, fez com que o Brasil fosse visto e admirado como a “Nação que salvou a si própria”!

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Na causa da democracia, quem está dispensado?

  1. Aloísio Fernando disse:

    “E só o começo”? Não o começo teve início quando o Famigerado “Molusco” recebeu a faixa presidencial.Esse foi o começo.Estamos no momento atual em pleno desenvolvimento para transformar o Brasil em uma “República Bolivariana Socialista”,tal como o são Cuba e a Venezuela,com quem esse Desgoverno corrupto e espúrio tem convivido como Parceiros e Companheiros de mesmo ideal.
    A Suprema Corte do País,penúltimo baluarte da Democracia e da Legalidade,foi subjugado por magistrados a serviço do PT.Reformaram uma sentença,transitada em julgado,rindo da cara de todos os brasileiros.O “Golpe de Estado”,que seria dado através do Mensalão,só foi adiado.Os planos e esforços para isso continuam em desenvolvimento.Os “magistrados” Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Dias Toffoli , Ricardo Lewandowski,Teori Zavascki e Rosa Weber,de conluio escancarado,sem nenhum pudor,inocentaram os réus condenados ” do crime de formação de quadrilha”.Nessa hora “CRÍTICA”,EM QUE DÃO UM VIGOROSO PASSO PARA COMPLETAR SEUS PLANOS VIS PARA LEVAR O PAÍS A DESORDEM CIVIL,só nos resta rogar ao último baluarte da Democracia. Aos defensores da Lei,da Ordem e da Sociedade Brasileira,as Forças Armadas! Assumam Soldados Brasileiros o dever que lhes compete,que é impedir a desestruturação da Nação.
    Se isso não for feito,logo nos veremos frente a frente em confrontos armados.Os que desejam a desordem social e os que não a desejam.Permanecerei atento ao chamado dos que não desejam.Aos sessenta e seis anos participarei de todas a marchas e movimentos para reivindicar e desfenestrar a saída do PT do País,Apoio INCONDICIONALMENTE,tendo vivido a Revolução de 64,inclusive envergando a gloriosa farda do Exército Brasileiro,sabendo que só as Forças Armadas serão capazes de recolocar a Sociedade Brasileira no caminho da “ORDEM E DO PROGRESSO”.
    Prezado General Paulo Chagas,concordo inteiramente com as sua palavras, que concorrem para que as minhas esperanças, de ainda ver o Lema Nacional em pleno exercício pelo Povo Brasileiro, não morram.

  2. Adauto de Lima disse:

    Prezado Gen Paulo Chagas
    Conheci seu blog recentemente e pretendo seguí-lo, pois suas observações são pertinentes e sinceras, admiro sua coragem e amor pela pátria que tem tudo para ser a maior no planeta, mas estamos contaminados e o câncer se espalha rápido, muitos vivem a ilusão de que nada está acontecendo e que o comunismo é um sonho impossível neste país e se acomodam. Não há um dia em que eu não fique apreensivo com esta possibilidade, e tenho nas forças armadas o depósito de todas as minhas esperanças, visto que, a massa ignorante e manipulada, e que elege, adormece sob as benesses do Estado, como não posso me sentir impotente? Faço minha parte e procuro formar opinião a minha volta na esperança de que uma pequena semente frutifique. Confesso, que não vejo outra alternativa, senão pela força, o que nunca é bom, mas os melhores remédios são amargos não?
    O sistema político atual não serve, propcia a corrupção (o que é endêmico), os poderes perderam seu propósito, o povo não é mais prioridade a muito tempo! Sim o tranco tem que ser forte! uma vez meu avô me disse: “Do jeito que as coisas vão, um dia vc se sentirá escluído por ser um homem honesto, espero que eu esteja errado, meu filho!” Acho que ele está certo! Isso foi a 25 anos atrás…..
    Grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s