Oração em comemoração aos 50 anos do Movimento Cívil e Militar de 31 de Março de 1964

Caros amigos, irmãos e irmãs em Cristo Jesus
Escolhemos como ambiente para a nossa assembleia a paz, a segurança, a isenção e a pureza da Casa de Deus, porquanto aqui não serão acolhidas mentiras, hipocrisia, nem tampouco falsidades, porque aqui professa-se a Palavra, cultua-se a Verdade e pratica-se o Amor e o Respeito ao Criador e ao Próximo!
Reunimo-nos nesta data histórica para comemorar, para lamentar e para reafirmar compromissos.
Aqui viemos para lembrar uma decisão, largamente festejada, da Nação brasileira, tomada há cinquenta anos e que assegurou a cada um de seus filhos a liberdade para escolher, diante das oportunidades, os seus caminhos, certos ou errados, mas coerentes com o livre-arbítrio que nos concede o Pai Eterno.
Assim, nas duas décadas que se seguiram ao 31 da março de 1964, graças às bênçãos de Deus, às asas da liberdade mantidas abertas sobre nós e ao potencial de cada brasileiro, houve progresso, crescimento, bem estar social, segurança, pleno emprego e um “milagre brasileiro” que nos permite, apesar de todos os erros, enganos e malfeitos, figurar, até hoje, entre as dez maiores economias do mundo!
Este é o motivo da nossa comemoração!
Por ouro lado, no mesmo período, o fracasso de uma minoria iludida e fanatizada, cujas ideias e pretensões foram rejeitadas pela vontade nacional, foi motivo uma luta armada que, entre combates, excessos de ambos os lados e ações de guerrilha e terrorismo, em 21 anos de governos militares, tirou a vida de quase meio milhar de brasileiros!
Este, caros amigos, é o motivo da nossa lamentação!
Nas lutas entre irmãos, vencidos e vencedores acabam por reencontrar-se e por esquecer seus desencontros. No nosso caso, seguindo a tradição da índole brasileira e o exemplo de Caxias, o Congresso Nacional aprovou e promulgou uma Lei da Anistia, selando o fim de um tempo, na vã esperança de iniciar um novo, regido pelos ensinamentos e mandamentos conciliatórios do Cristo Jesus.
A frustração dessa esperança, evidenciada na criação de comissões de vindita que, facciosamente, desdenham causas e distorcem fatos, é que nos reporta à última ação a realizar nesta assembleia que, por sincera e verdadeira, é realizada diante do Altar de Deus!
Aqui viemos, pois, para reafirmar que os ideais que, há 50 anos, levaram às ruas as “famílias com Deus pela liberdade” e as tropas militares a por fim à baderna e ao desmando, ainda habitam os corações e as mentes dos homens e mulheres desta terra e que, portanto, são compromissos de vida que assumimos diante de Deus, da Pátria e do futuro de nossos filhos e netos!
Roguemos, pois, ao Pai de Misericórdia para que Ele nos guarde e guie, iluminando o caminho das decisões que todos nós brasileiros temos a tomar no decorrer deste e dos próximos anos e que prevaleça, acima de tudo, a Sua Santa Vontade!
Amém!

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Oração em comemoração aos 50 anos do Movimento Cívil e Militar de 31 de Março de 1964

  1. Arthur A. Santos disse:

    Caro gen, sou filho de um falecido cel do EB, talvez seu contemporâneo, diante dos acontecimentos em nosso país e após ver o texto abaixo não me restam mais muitas dúvidas sobre o que veremos acontecer no Brasil

    http://www.sacralidade.com/igreja2008/0178.castigos.html

  2. Christian Lagreca disse:

    Agradeço aos militares pela redentora data de 31 de março de 64, pois com ela o Brasil se viu livre do maior assassino de democracias do mundo: o socialismo-comunismo.
    Agradeço também pelo ensino de qualidade nos anos 70 no qual tínhamos escolas estaduais de alto nível em que aprendíamos noções de cidadania e respeito às instituições, respeitos aos professores e à família através da disciplina ”Educação Moral e Cívica”.
    Agradeço pela possibilidade, mesmo em um necessário regime de exceção, como foi o Contragolpe Civil-militar de 64”, de poder ir e vir, de andar com liberdade, de poder brincar, estudar, trabalhar em paz e fazer o que quisesse desde que eu respeitasse as leis.
    Obrigado, militares, pelas hidrelétricas, pelo Pró-Álcool, pelas grandes rodovias que cortam o País de Norte a Sul. Obrigado também pelo CNPq, PIS, PASEP e FGTS.
    Não posso deixar de agradecer, claro, pela grande sensação de segurança que tínhamos naquela época que, infelizmente, foi se perdendo justamente quando o regime começou a se preparar para a transição. Agradeço imensamente pela luta, pelo esforço e pelo patriotismo dos homens de terno verde-oliva, entre eles alguns bravos combatentes da F.E.B., que evidenciou o Brasil como um grande aliado contra as forças nazistas da segunda guerra e que foram esquecidos por muitos brasileiros, principalmente pelos que demonizam a polícia, desmoralizam as Forças Armadas, agridem nossos professores, debocham das famílias e das religiões e querem pintar de vermelho nossa bandeira verde e amarela.
    Obrigado, militares. A todos vocês o meu respeito e reconhecimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s