Os comissários do PT e a necessidade de demonizar as FFAA

Caros amigos

Voltando ao tema das respostas das Forças Armadas às demandas da “Comissão da Versão” a respeito de atividades repressivas ao terrorismo realizadas em instalações militares durante a “luta armada”, período no qual os quartéis, por abrigarem os recursos humanos e o armamento de guerra passaram a ser alvos e objetivos do planejamento estratégico do inimigo, sinto-me compulsado a repetir que no combate ao terrorismo essas instalações assumiram a condição de locais de combate e de atividades essenciais à guerra, como a de inteligência militar.

Em ambiente de terrorismo urbano, onde o inimigo se mistura e busca confundir-se com a população, a inteligência faz o papel da peneira que, a partir de uma grande quantidade de fragmentos, retém apenas o conhecimento necessário para identificar e isolar o inimigo com o objetivo de, posteriormente, neutralizá-lo ou destruí-lo com segurança e com os menores efeitos colaterais sobre civis inocentes!

É fácil, por conseguinte, concluir que esta atividade poderia ser realizada, como foi, em quaisquer instalações, desde que fossem seguras, seja pela dissimulação, seja pela segurança orgânica dos quartéis ou das delegacias de polícia.

Graças a esse trabalho, aquela guerra foi vencida como uma bem sucedida intervenção cirúrgica – rápida, precisa, objetiva, segura, eficiente, quase indolor e com pronta recuperação do paciente, neste caso, a Nação brasileira!

A insistência dos comissários do PT para receber de forma concreta e oficial o que a lógica torna evidente, não tem outro objetivo do que atender à obstinada e, para eles, indispensável demonização das FFAA – talvez as únicas instituições não aparelhadas ou comprometidas com seus objetivos totalitários -, já que, sem elas, estes se tornam inatingíveis. Daí a necessidade fundamental de tirar-lhes o prestígio e a confiança que têm e sempre tiveram junto à sociedade a que servem.

Outra demanda da lógica que, em tempos de intoxicação metal produzida pelas técnicas gramscistas, fica descaracterizada é o fato de que, naquele tempo – como em qualquer outro e até os dias de hoje – os bandidos, os inimigos do povo e a ameaça à paz e à segurança nacional eram os terroristas, não os que os combatiam.

Apenas no Brasil da era pós-moral há esta estarrecedora inversão de valores: Canalhas viram vítimas e heróis são tratados como bandidos!

Já disse e repito: Escarafunchar um passado de meio século – buscando consequências, sem considerar circunstâncias e causas -, além de perda de tempo, é desconsideração e descaso para com a totalidade dos brasileiros honestos, pacíficos e trabalhadores que, hoje, são torturados e mortos diuturnamente pela compensação do crime e pela insegurança em todos os setores da vida pública e privada, vítimas da irresponsabilidade, da desonestidade, da incompetência e das inconfessáveis intenções dos atuais governantes.

Gen Bda Paulo Chagas

= Nenhuma ditadura serve para o Brasil – Gurpo Ternuma =

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Os comissários do PT e a necessidade de demonizar as FFAA

  1. Jovanio Schlickmann Junior disse:

    Caro General,hoje passei por um episódio na minha vida muito interessante e gostaria de compartilhar e pedir a opinião do sr. Estou no 2 ano do EM.Estavamos falando de alistamento com o professor de Física,ele contou como foi o seu alistamento. Alguém perguntou o que ele faria se fosse convocado para defender a pátria,nessas palavras ele disse: Prefiro morrer na cadeia do que morrer pelos ideais desse país de merda e esses políticos de merda. As pessoas ficaram perplexas e muitos falaram que ele estava certo outros não concordaram. Eu me levantei e e felei pra ele o seguinte: primeiro você não estara morrendo pelos ideais de políticos ou país de merda e sim o pelos ideais da sua nação e dos militares que são os únicos que tem prestígio e moral nesse país,porque quando a coisa ficar feia,mesmo que não mereçamos pela nossa ingratidão com os mesmos eles vão estar lá,NÃO FUGIRAM A LUTA assim como você seu covarde ! Depois disso recebi uma salva de palmas,ele ignorou e ficou pensativo e continuou a aula. Eu gosto dele e fiquei meio mal em fazer aquilo com ele mas foi para o seu próprio bem. O que o sr acha,agi da forma certa ?

    • Caro amigo Jovanio, parabéns por sua atitude. O Brasil é dos brasileiros e está de portas abertas, tanto para quem nele quiser viver em paz e de acordo com nossos costumes, crenças, virtudes e defeitos, quanto para os que dele quiserem sair. O Brasil não é e, se Deus e os brasileiros quiserem, nunca será uma Cuba, cujas portas estão abertas só para a entrada, já que se trata de uma prisão! Lutar pela Pátria é lutar pelo que é nosso. Se o seu professor não se considera um brasileiro, devemos apenas lamentar! Se os nossos políticos e governantes são ruins, e são mesmo, a culpa é nossa e substitui-los por outros de melhor qualidade também é dever dos brasileiros, em qualquer circunstâncias. Assim, fica valendo o que cantamos com orgulho e sinceridade em nosso Hino: “Mas, se ergues da justiça a clava forte, verás que um filho teu não foge à luta, nem teme, quem te adora, a própria morte”.
      Caro Jovanio, se conselho posso lhe dar, além dos cumprimentos pela atitude, digo-lhe que procure seu professor, que parece ser um bom homem, e peça-lhe desculpas por tê-lo chamado de covarde. Um homem orgulhoso de sua Pátria, como você, não deve ser deselegante com os mestres, particularmente com aqueles de quem gosta, como você honestamente declarou. Esperemos que ele tenha humildade para reconhecer seu erro (dele) e a grandeza das atitudes de seu aluno (você).
      É o que lhe posso dizer no momento!
      Patriótico e orgulhoso abraço!
      PChagas

  2. carlos disse:

    Caso o Sr.Neves ganhe,que sua primeira atitude seja acabar com a famigerada comissão da verdade,ou,no mínimo,estender à comissão aos terroristas.Será meio caminho andado para que,os comunistas,percam o interesse em seus inimigos.Como disse Gilmar Mendes no passado:”Se tortura não prescreve,terrorismo também não”.

  3. Jovanio Schlickmann Junior disse:

    General,segui seu conselho e pedi desculpas a ele. Recebi uma resposta muito satisfatória ! Ele aceitou meu pedido de desculpas e pediu desculpas a mim também. Admitiu que tomou uma atitude errada em expor sua opinião daquela forma. Ele elogiou o meu patriotismo e admitiu que também queria ter esse sentimento,mais esse sentimento não consegue brotar por causa dos absurdos desse país,simplesmente falei pra ele procurar ler sobre os militares que sem duvida o patriotismo e a admiração pelos mesmos ira brotar em seu coração!

    • Caro Jovanio, você foi perfeito! Humildade e grandeza! Em breve teremos o seu professor do nosso lado, orgulhoso de ser brasileiro e ciente de que não há desgosto que possa destruir o patriotismo. Os absurdos que aí estão são os melhore motivos para a nossa luta por um Brasil melhor!
      Parabéns aos dois!
      PChagas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s