Vale a pena alertar outra vez sobre a farsa da pacificação no Rio de Janeiro

Caros amigos, repito…

Somente a dissuasão pode assegurar o estado de paz, ou, quando em guerra, a destruição física do inimigo e sua completa submissão à vontade do vencedor.

O que tem ocorrido no Rio de Janeiro, com relação à Segurança Pública, a partir da adoção de uma estratégia “pacificadora” é a admissão da existência de um estado de guerra, ou seja, se buscamos a paz é por que estamos em guerra!

Se é um estado de guerra, há que se definir judiciosamente, com clareza e precisão, os objetivos a serem conquistados e os meios a serem empregados para fazê-lo, inclusive os equipamentos e as estratégias convenientes para VENCER e estabelecer a paz em bases definitivas.

O que se tem visto é a negociação de um “clima de paz” em bases frágeis de garantias dissuasórias, isto é, em condições que asseguram a manutenção dos interesses dos criminosos.

As restrições impostas ao procedimento das tropas, por intermédio de “Regras de Engajamento Politicamente Corretas”, beneficiam o inimigo na medida em que tolhem o poder de combate das forças do bem e evitam a necessária destruição do mal!

Para negociar a paz, ou “pacificar”, é preciso, antes de tudo, subjugar, derrotar e, se necessário, destruir o inimigo e, com ele, todos os seus aliados e apoiadores, aí incluídos os dirigentes políticos cuja interferência no processo visa a garantir as “condições de trabalho” do inimigo!

A ação da Polícia e do Exército no Rio de Janeiro é, portanto, “negociadora” e não “pacificadora”, porquanto não tem por objetivo impor-se aos bandidos, mas, isto sim, negociar com eles uma conciliação ótima entre a segurança da população e a lucratividade do trabalho criminoso.

Considerando que não há qualquer lógica, ou princípio moral e ético, em negociar com criminosos, não há porque imaginar que isto seja uma solução. Portanto, enquanto esta guerra não for tratada como guerra, não haverá a paz que queremos, ou pior, continuaremos a negociar sob as condições do inimigo e a pagar com vidas de civis, policiais e, agora, também, de soldados do Exército a simulação hipócrita de um clima de paz e acabaremos por ser moralmente derrotados, como, parece, nos demonstra a morte do Cabo Michel Augusto Mikami, abatido como pato de tiro ao alvo, como muito bem definiu o editorial do site Defesanet!

Mantidas estas condições, circunstâncias e conseqüências, corre-se o risco de estarmos a estimular os bandidos de outras regiões e movimentos revolucionários ditos sociais a criar mais áreas liberadas como as que existem no Rio de Janeiro

As Forças Armadas brasileiras têm sobejas condições e competência para, a seu modo e sem as adaptações e distorções que se impuseram às normas legais de seu emprego, resolver este impasse, porém, enquanto imperar o desinteresse político ou o medo de assumir a responsabilidade “politicamente incorreta” pelos efeitos colaterais de seu emprego, o Brasil não vencerá esta guerra e não encontrará a paz que as autoridades políticas dizem que procuram.

É o que penso e temo e, por isto, torço para estar errado, apesar de todas as evidências a meu favor!

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

13 respostas para Vale a pena alertar outra vez sobre a farsa da pacificação no Rio de Janeiro

  1. pasquablog disse:

    General Paulo Chagas,

    Gostaria de agradecer os seus textos, porque num momento difícil como este que estamos vivendo, é muito bom encontrar uma pessoa sensata, racional e ponderada.
    Por isso mesmo, gostaria de pedir ao senhor em algum texto futuro, uma análise do que representa a Unasul para nós. Quais os riscos para a nossa segurança e para a nossa soberania? Pergunto isso porque tenho lido vários textos alarmistas e gostaria de saber sua valorosa opinião.
    Obrigado

    • Obrigado, amigo, pela confiança. A construção da Grande Nação Sul Americana, ou Latino Americana, é sonho histórico que as nossas diferenças idiossincráticas, desconfianças históricas, diferenças de nível e interesses econômicos nunca permitiram que acontecesse – vide Mercosul -, não serão esses líderes populistas, incompetentes e fanfarrões que o farão. Imagino que não passe de mais uma artimanha para exportar recursos públicos para os paraísos fiscais, em tenebrosas transações!

  2. Adalberto Pimentel disse:

    Prezado General boa tarde, infelizmente, a maioria do povo brasileiro e até mesmo membros do Exército e moradores do Rio de Janeiro, acreditaram que haveria pacificação no Rio de Janeiro com a ida das tropas para lá, ocorre que, para quem entende um pouco, o objetivo das FA no Rio, era puramente defender o período da copa, e no momento permanecer lá até as Olimpíadas de 2016. Depois disso, com certeza e a menos que eu esteja muito enganado, as tropas vão ser retiradas até mesmo para não serem desmoralizadas, e se não forem retiradas, mesmo assim na atual política de enfrentamento, não terão jamais sucesso. O que resolveria lá, seria a lei do bandido armado, bandido alvejado. Ou eu estou errado? Agora, creio que isto também não seria aceito e portanto, a curto prazo, não há como desatar aquele nó. Obrigado. Adalberto Pimentel

  3. Scala disse:

    Caro general: Vivo em Curitiba, tenho 65 anos, engenheiro mecânico formado em 1974, dentro, portanto, da era dos “generais”. Entrei e saí da universidade sem nenhum problema com a “revolução”. O Brasil foi muito melhor naquela época. Sou seu fã de carteirinha e um leitor voraz dos seus excelentes, bem apanhados, equilibrados e prudentes artigos.
    Acho que sua análise para o problema da violência no Rio de Janeiro pode ser extrapolado para o nosso querido e espancado Brasil. Vejamos:

    “”Para negociar a paz, ou “pacificar”, é preciso, antes de tudo, subjugar, derrotar e, se necessário, destruir o inimigo e, com ele, todos os seus aliados e apoiadores, aí incluídos os dirigentes políticos cuja interferência no processo visa a garantir as “condições de trabalho” do inimigo!””

    Como vemos, a negociação política com os PETRALHAS não tem a menor chance de vir a redimir o país. Eles não tem a menor intenção de mudar o rumo ao qual estão levando o Brasil: a esquerda bolivariana. Em qualquer caso de pressão da sociedade, utilizando o Petrolão, por exemplo, o PT somente cederá os anéis e manterá os dedos firmes no pescoço do país. Somente largarão o osso-Brasil quando forem destruídos juntamente com a súcia política que o apóia.
    Como vimos, a última esperança de derrubar o PT foi na última eleição E DEU NO QUE DEU.
    Para isso, só podemos contar com a s FFAA…………..é a única que tem condições materiais e humanas de destruir esse câncer PETRALHA que corrói nosso Brasil. MORTE AOS PETRALHAS. (Perdoe a minha indignação, já não aguento mais…)

    • Caro amigo Scala, você tem todo o direito de estar indignado e de querer “empregar a reserva”, mesmo que prematuramente, como dizemos na caserna quando o assunto é tática. Como você pode ver, trato as FFAA como reserva e não como força de primeiro escalão. Esta ainda somos nós que, embora não tenhamos vencido o último embate, mantivemos a impulsão do ataque e, ao mesmo tempo, criamos e revelamos novas vulnerabilidades no dispositivo do inimigo. Antes de empregarmos o nosso último e definitivo recurso, temos que continuar a manobra original pois ela, mesmo sem resolver o nosso problema, tem sido eficiente em desgastar o inimigo. É o que penso e pelo que espero estar certo.
      Obrigado pelo seu comentário!

      • Scala disse:

        Caro General: Me parece que o inimigo afrouxou a sua linha de defesa (note que o PT não faz nada fora da lei democrática), nos atraindo para um avanço em ponta de lança que se transforma em emboscada, enquanto ele avança pelos flancos (aparelhando todo o governo) e fechando as pinças, nos prendendo num bolsão, sem comunicações com a retaguarda. Não quero ser um novo Generalfeldmarschall Von Paulus. Devemos manter a defesa, reunir muitas tropas, equipamentos e combustível, e atacar com tudo em uma ampla frente, protegendo sempre nossos flancos, até a destruição total do inimigo. E aí, “crème de la crème, teremos um novo julgamento de Nuremberg, aplicando as mesmas penas utilizadas naquela época. Aí minha alma ficará lavava, passada e engomada. Obrigado pelas sempre prontas respostas e perdoe-me pelo jeito meio radical de expressar-me. É um pouco de fanfarronada de minha parte, mas é muito bom para aliviar um pouco meu espírito indignado. Grande abraço.
        PS: Na hora H não esqueça de chamar-me…

      • Caro amigo, é bom dar tratos à bola e criar cenários. Como Vc disse, é bom para aliviar a tensão e a indignação.

  4. Aparecida Donizeti de Oliveira disse:

    Senhor General, se eles querem com a Unasul abrir espaço no Brasil(não sei se é verdadeira a notícia) para outras Forças Armadas,estaremos encrencados! Já li (não acreditei,mas me deu um enjoo…) eles querem mudar a nossa bandeira,a constituição…Ouvi a Dilma falando que nossas línguas são muito parecidas,quase iguais…Desculpe,isso é medo ,falta de fé eu acho.Tem sido muita pressão para quem não aceita esse desgoverno;aliás nunca aceitei.

  5. Scala disse:

    Caro General:
    Por favor, dê atenção ao vídeo que se segue……..garanto que vale a pena. VAMOS DIVULGA-LO

    O ex-ministro do STF, EROS GRAU, por pertencer ao Partido Comunista Brasileiro, foi preso em 1972, época do governo militar no Brasil (1964-1985)..Foi indicado pelo nosso amigo Lula em 15/jun/2004 e saiu em agosto de 2010.Portanto nos parece voz isenta pra falar do caos que vive nosso pobre Brasil entregue a sanha dos larápios e corruptos.em todas as esferas do poder. Vale uma olhada, torcendo para que a previsão do Ex Ministro do STF não se concretize.

    Ouça com bastante atenção… Mas não se deprima!

    Tomada de posição do ministro aposentado do STF Eros Grau.

    Resumo lúcido, preciso e catastrófico de alguém que viveu a realidade da liderança do PT no país. Não deixem de analisar e repassar

    Pessoal, espero que este depoimento, ou apelo, consiga chegar aos ouvidos de toda população. O Brasil corre um risco enorme, este Ministro tem visão futura do pior para o Brasil e nós estamos assistindo de braços cruzados.
    Vamos pedir proteção para a nossa Pátria.

    Clique e assista o que diz o ministro Eros Grau.

    • Caro amigo, o que o Ministro diz e alerta com propriedade só não é do conhecimento de quem é completamente ignorante – que não são poucos, mas não são a maioria. Apesar disso ela ganhou, o que prova que somam-se aos ignorantes os interessados nas vantagens imediatas e voláteis do poder – são os cegos a quem se refere o Ministro.
      A diferença fundamental do Brasil para a Venezuela é que lá o processo começou dentro das FFAA e conta com a sua conivência. No Brasil, em que pese a omissão das autoridades militares, as FFAA estão fora do processo e seus integrantes votaram em massa contra o PT. Não conheço nenhum militar que faça defesa desse projeto de poder, pelo contrário.
      O Brasil só estará em estado terminal quando os militares estiverem cooptados. Hoje, por razões de prioridades, com as quais não concordo, há um estado de passividade compulsado pelo excesso de disciplina e de corporativismo funcional, ou seja, as FFAA estão sendo mantidas caladas por seus comandantes em troca da aprovação e do apoio financeiro aos projetos estratégicos e estruturantes de transformação e modernização em curso, no entanto, os militares em geral, como cidadãos informados, continuam acompanhando a situação política e quando a ameaça que paira sobre nós for considerada mais importante o que elas próprias, as coisas vão mudar. Eu assim espero e, por isto, me motivo a manter a impulsão da minha “guerra particular” contra o PT e não me permito acreditar que as FFAA venham a abandonar a lógica real da democracia que, ao longo da história, têm defendido com “sangue, suor e lágrimas”!
      Obrigado pelo comentário.

  6. Danilo disse:

    Saudoso General Paulo Chagas.O Deputado Jair Messias Bolsonaro realmente representa a classe militar?Porque porque ele foi e é filiado a partidos que são da base do governo.Ele era do PTB e agora está no PP ambos partidos de esquerda que são da base do governo Petista.Gostaria que o senhor me adicionasse no facebook para discutirmos sobre o comunismo no Brasil.Estudei muito e agora estou vendo com clareza quem é quem.Meu facebook e Danilo Sarno,minha foto de perfil estou com óculos.Obrigado!

    • Caro Danilo, o Deputado Jair Bolsonaro representa muito bem os militares!
      Adicionarei você no Facebook, mas lhe adianto que não tenho tempo para discutir por lá, apenas o uso para dar difusão aos textos que julgo construtivos para o pensamento democrático e liberal!

  7. Danilo disse:

    General.Admiro o Deputado Jair Bolsonaro.Por isso perguntei sobre ele.Sou da direita e anti-comunismo.Gostaria de certa forma ajudar os militares mesmo sendo um civil.Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s