Que direitos e quais humanos, senhora Governanta?

Caros amigos

Já escrevi sobre isto, mas é forçoso voltar ao assunto.

Sempre acreditei que o mutismo e o imobilismo dos governos brasileiros da era pós-moral com relação às violações dos direitos humanos em países como Cuba e Venezuela, para citar apenas dois, era devido ao respeito ao preceito constitucional de não intervenção nos assuntos internos de países soberanos, mesmo que submetidos a governos tirânicos e totalitários, como é o caso dos citados.

As atabalhoadas e desastradas agressões do governo petista à soberania de Hondurase do Paraguai, quando, dentro da lei e sob a tutela dos mantenedores da ordem, as Supremas Cortes e os Parlamentos, no uso de suas atribuições, defenestraram os dois afiliados do Foro de São Paulo que usurpavam dos cargos de Presidentes da República, permitiram-nos constatar que a atitude complacente com a tirania de esquerda não se tratava de obediência à Lei Maior, mas de pura conivência e de invejável fidelidade a acordos e planos traçados e tratados à sombra da liberdade democrática.

Agora, quando um grupo de parlamentares brasileiros decide, pacificamente, constatar, in loco, as graves violações dos direitos humanos que diariamente ocorrem na Venezuela e que chegam ao conhecimento do mundo por intermédio da imprensa e das redes sociais, o governo petista, cinicamente, boicota a empreitada, combina com seu afilhado, Nicolás Maduro, uma pantomima e determina ao obscuro Embaixador do Brasil naquele desgraçado  país o abandono dos representantes do povo brasileiro ao ridículo da execração moral e ao risco da agressão física!

Com que moral a Governanta Dilma pôde dizer que os nossos representantes estavam interferindo na soberania da Venezuela? Que tipo de moral lhe permitiu derramar suas lágrimas hipócritas quando da patética solenidade de entrega do relatório da comissão nacional da verdade (sic), quando instituições e homens honrados e dignos foram execrados à opinião pública como violadores de direitos humanos?

Que direitos e quais humanos, Sra Governanta?

Quanta impostura, quanta falsidade, quanta incoerência ainda teremos que aturar antes que o Parlamento e a Suprema Corte concluam que esta senhora está usurpando do seu cargo e façam o que tem que ser feito, belo bem do Brasil e dos direitos humanos?

Gen Bda Paulo Chagas

= Nenhuma ditadura serve para o Brasil =

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Que direitos e quais humanos, senhora Governanta?

  1. Prezado General Paulo Chagas, há muito deixei de me iludir sobre as ações e omissões do atual governo e seu antecessor imediato. Infelizmente conceitos como ética, verdade, moralidade, cuidado com a coisa pública não constam no cotidiano dessa quadrilha que ocupou os corredores e gabinetes do poder. Tudo que lhes importa é o enriquecimento ilícito de suas lideranças com a garantia de impunidade pelo aparelhamento do Judiciário e a perpetuação custe o que custar do seu projeto de poder, inspirado pelos ditames do Foro de São Paulo. Creio eu que esse quadro mudará quando a grande imprensa, principalmente a televisiva, começar a divulgar as verdades que são conhecidas por poucos patriotas interessados em salvar o Brasil. Napoleão já dizia: “prefiro enfrentar mil baionetas do que três jornais”. Ele estava certo. Resta saber se os jornalistas responsáveis dos grandes veículos de massa decidirão salvar o Brasil, honrando a responsabilidade de sua missão de bem informar, ou continuarão se omitindo em nome de um projeto obsoleto de sistema político do qual o PT se distanciou já há muito tempo.

  2. Antonio Miranda disse:

    Senhor General, espero voltar a ativa para combater esses comunistas que só sairão a força.

  3. Francisco Machado disse:

    Caro General,
    Teremos de aturar tantas quantas ainda forem praticadas por essa corja que se apoderou do poder, porque a depender desse Congresso fisiológico que temos e da Suprema Corte de Justiça aparelhada pelo partido do governo, não se deve esperar por milagre.
    O povo, desde a última manifestação de rua, se acomodou e parece surdo a tudo que se brada contra esse governo corrupto.
    Concordo que “Nenhuma ditadura serve para o Brasil”, mas penso que uma intervenção no governo, que envolvesse militares e civis, com duração limitada no tempo, o suficiente para recolocar o país nos trilhos da moralidade e da democracia, seria muito bem-vinda.
    Saudações
    Francisco Machado

  4. Francisco Machado disse:

    Caro General,
    Teremos de aturar tantas quantas ainda forem praticadas por essa corja que se apoderou do poder, porque a depender desse Congresso fisiológico que temos e da Suprema Corte de Justiça aparelhada pelo partido do governo, não se deve esperar por milagre.
    O povo, desde a última manifestação de rua, se acomodou e parece surdo a tudo que se brada contra esse governo corrupto.
    Concordo que “Nenhuma ditadura serve para o Brasil”, mas penso que uma intervenção no governo, que, ao menos, contasse com o apoio dos militares, com duração limitada no tempo, o suficiente para recolocar o país nos trilhos da moralidade e da democracia, seria muito bem-vinda.
    Saudações
    Francisco Machado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s