Nós, do Exército Brasileiro!

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que lutamos nos Guararapes contra o invasor holandês, justificados e motivados pelo sentimento de pátria que o amálgama de raças e o amor à terra fazia surgir.

Fomos nós que asseguramos a Independência, que lutamos na Cisplatina e que defendemos a honra, os interesses, a soberania e o patrimônio da Pátria nas guerras e conflitos internos que abalaram, ameaçaram e fixaram nossas fronteiras e asseguraram a unidade nacional.

Fomos nós que, aliados a antigos adversários, fizemos malograr as intenções expansionistas de Solano Lopes.

Somos nós, do Exército Brasileiro, que temos na consciência o peso da participação na derrubada do Império e que conhecemos a responsabilidade que nos cabe na instauração desta República que, até os dias de hoje, envergonha a história política do Brasil.

Fomos nós que lutamos em Canudos, no Contestado e na 1ª Grande Guerra Mundial. Fomos nós que, ao morrermos movidos pelos ideais “tenentistas”, escrevemos a epopeia dos “18 do Forte”

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que ajudamos a colocar Getúlio no poder e não o impedimos de implantar o Estado Novo.

Somos os mesmos que, em 35, sofremos na carne a traição e a agressão assassina de comunistas fardados, falsos camaradas, idiotizados pelo internacionalismo vermelho.

Fomos nós que lutamos na Itália e que trouxemos de lá lauréis de bravura e de abnegação que refletem nosso exacerbado amor à  liberdade e à justiça.

Somos os mesmos, os do Exército Brasileiro, que, em MARÇO DE 1964, assumimos a liderança do clamor popular que repudiava a ameaça comunista que, mais uma vez, nos rondava às escâncaras e à sorrelfa, pregando mentiras e preparando o golpe de morte aos valores pelos quais sangráramos em guerras e revoluções.

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que lutamos nas matas do Araguaia contra uma guerrilha de lunáticos, preparados por fanáticos da utopia comunista e liderados por falsos profetas que pregavam o ódio e exploravam desigualdades e injustiças que nunca pretenderam ou seriam capazes de corrigir.

Somos os mesmos que,  atônitos, vimos surgir nos grandes centros a ação deletéria, covarde e assassina de terroristas treinados longe da Pátria que, misturados às próprias vítimas, as usavam como escudo e camuflagem. Aprendemos, não sem perdas e sem o sacrifício de pessoas inocentes, a conhecê-los,  a combatê-los e a vencê-los!

Fomos nós que, com o espírito aberto e pacificador de Caxias, assistimos ao retorno dos banidos, dos fugitivos da justiça e dos exilados e que, inocentemente, alimentamos a crença de que, anistiados, voltavam ao convívio e ao aconchego da Pátria para ajudar na construção do Brasil livre, desenvolvido e democrático que o desejo da maioria impunha construir.

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que, como Soldados da Paz, arriscamos nossas vidas na África, no Timor Leste e na Bósnia. Fomos nós que, ao levarmos a paz e a solidariedade ao sofrido povo do Haiti, morremos com ele, soterrados no cumprimento do dever.

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que conduzimos e executamos as operações que resultaram na retomada de áreas ocupadas por facínoras e traficantes nos complexos de favelas do Rio de Janeiro, devolvendo e assegurando àquelas comunidades os direitos de cidadãos que a covardia, a omissão, os interesses e a conivência de políticos, governantes e até de policiais lhes haviam tirado.

Este rápido, superficial e incompleto passeio pela história de nossos feitos, faz ver que nós, do Exército Brasileiro, desde Guararapes até a “Maré”, carregamos e continuaremos a carregar a herança desses fatos e responsabilidades que não pertencem ao passado ou aos que lá estiveram naqueles momentos, mas a nós todos, soldados de ontem, de hoje e do amanhã, porque é herança de honra, de glória e de responsabilidade!

O que está feito não pode ser mudado e pertence a todos nós.  Não há como apagar a história nem há como fugir à responsabilidade sem deixarmos de ser nós mesmos. Não há ordem ou desconforto, de quem quer que seja, que nos possa fazer esquecer ou ser menos  responsáveis ou orgulhosos dos feitos e fatos que compõem a nossa história, sob pena de termos que abdicar do orgulho de sermos nós, os do Exército Brasileiro!

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

8 respostas para Nós, do Exército Brasileiro!

  1. É isso é História! Bonito texto,senhor!

  2. Paulo Eduardo disse:

    As Forças Armadas, juntamente com membros do Judiciário, como o Juiz Moro, são os últimos Bastiões da moralidade e nossa única esperança de uma pátria livre de Políticos Bandidos, corruptos e da ameaça Comunista e Terrorista que se avizinham.

  3. Gino Pavan Neto disse:

    General Paulo Chagas, segue abaixo uma reportagem do Aluizio Amorim sobre a ameaça de invasão do Brasil pelos “exércitos vermelhos” que envergonha a America Latina. General, isso é real ??? Porque não fazemos o contrário ??? As forças armadas Americanas estão de que lado ???? Fico temerário com a aproximação dos EUA com Cuba.

    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2015/08/ameaca-de-ataque-ao-brasil-por-parte.html

    Peço desculpas pelas minhas aflições mas ainda sou um Brasileiro de verdade como o Senhor e não quero ver o Brasil na não destes bandidos destruidores.

    Obrigado,

    Gino

  4. JB.Santos disse:

    Prezado General Paulo Chagas, parabéns pelo excelente artigo acima: Nós, do Éxercito Brasileiro!, o qual li emocionado, conhecendo todas essas histórias que o senhor descreve acima! Agora estou lhe enviando um vídeo interessante que saiu há pouco tempo no Facebook, YouTube, Twitter e vários sites e redes sociais, não sei se o senhor já o viu, se já viu, me desculpe, mas também pode servir para quem não viu, gostaria que o senhor desse uma olhada e manifestasse a sua opinião sobre isso,o link segue abaixo:
    Político Russo Denuncia Os Crimes de Lênin e Stalin e Detona os Comunistas no Parlamento – legendas em Português
    Cláudio Santos
    340 visualizações
    Publicado em 11 de agosto de 2015
    Vejam esse inflamado discurso anticomunista do líder do Partido Liberal-Democrata da Rússia, Vladimir Zhirinovisky, no Parlamento da Federação Russa. Escutem de quem sofreu na pele com a utopia igualitária:

    Deputado russo, enfim alguém de coragem por lá, fala toda a verdade sobre o comunismo: Diz que a revolução bolchevique matou 100 milhões de russos; Lênin foi o maior assassino da história e Stalin matou todos os oficiais da primeira leva comunista, deixando as Forças Armadas russas sem oficiais, despreparadas. Multipliquem este vídeo e enviem para todos os seus amigos e para todas as comunidades e partidos comunistas, para o Senado, Assembléia Legislativa Federal e todas as casas legislativas estaduais e municipais.

    Categoria Pessoas e blogs
    Licença Licença padrão do YouTube

  5. aparecida donizeti de oliveira disse:

    Senhor, mudou seu estilo ao responder sobre as supostas invasões dos comunistas…Gostei! Pra isso apoiamos as variedades linguísticas.
    Assisti uma parte do hangout no Clube Militar: “Por um Brasil Melhor”.Só uma parte eu consegui,pois o som,pra mim pelo menos,não estava bom.Bem na hora que o General Heleno ia falar o som ficava ruim :3 … Ele respondeu a uma senhora :” Tenho certeza absoluta de que nunca seremos uma república bolivariana!” \o/
    Minha filha do meio, que estuda psicologia na São Camilo tem um professor de psicologia “social” que tentou umas investidas “doutrinárias”.Fiquei orgulhosa da minha filha,senhor.Ele recuou…Ela apresentou argumentos sólidos,bem fundamentados,inclusive( claro que ele mencionaria…) sobre o nosso Exército! E seus colegas(todos em silêncio,general…) ouviam e,tenho fé que,pelo menos começaram a refletir.
    Meu filho de 17 anos (ano que vem deve se alistar) tem estudado bastante,pois( me disse) quer ter conhecimento,argumentos para debater com esquerdistas.Minha filha mais velha disse a uma professora (ela estuda pedagogia): ” A senhora é comunista! Não gosto das sua aulas! Por que tem que inserir essa ideologia em tudo?!” Sinto-me sozinha na escola onde leciono.Agora,porém,uma vez por semana ,1 das minhas aulas são para o PROERD e o soldado Augusto é um patriota,de direita.Assim,tentamos nos ajudar para passarmos algo sobre direitos,deveres,leis,manifestações e protestos…
    Bem,boa quinta-feira para o senhor e obrigada por nos esclarecer.Era muito mais ignorante sobre funções,ações;sobre a história do nosso Exército há 2 anos atrás! Vamos aprendendo…

    Mais uma vez,obrigada pelo texto.General.

  6. Roberto Berlt disse:

    Gen Paulo Chagas, parabéns pelo artigo que mostra um pouco da história do Exército Brasileiro, e parabenizo também aos homens e mulheres que dele fazem parte, na ativa ou reserva onde a meritocracia é fundamental e única forma de evolução.
    Quem dera na politica fosse assim,não teria políticos tão medíocres e sem valor,
    A historia do FFAA mostra que sempre poderemos confiar e esperar que se preciso for, não fugirão a luta para defender o Brasil no futuro como no passado já o fizeram.
    Por outro lado descreve e enquadra o que Lula chama de exército de Stédile como uma quadrilha ou bando,liderados por bandidos, com recrutas sem o minimo de informação e muita preguiça para produzir algo de bom,só querem fazendas prontas e produzindo onde têm trabalho nunca vi eles acampados. Obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s