É preciso paciência para assar a picanha…

Caros amigos

Compreendo e comungo das apreensões de todos os brasileiros de bem que só enxergam na intervenção militar a solução para os nossos problemas políticos.

Concordo que o impeachment pode ser a troca do “13” pelo “171”, e estou, como todos os que acreditam nos recursos da lei, preparado para continuar a luta, junto com os operadores da lei, como Sérgio Moro e sua equipe, e eliminar todos os “171” da política nacional. Vejo a derrocada do “13” apenas como uma das conquistas necessárias para que o Brasil se transforme no país que merecemos.

No cenário atual, com as instituições funcionando com respeito à independência entre os poderes, mesmo aparelhadas, não vejo, AINDA, a necessidade de interferir, pela força das armas, na vida nacional. Este é, e tem que ser, o último recurso da Nação e só deve ser empregado quando o mal que vier a causar for definitivamente menor do que o que pretender eliminar ou evitar.

Precisamos, de fato, mudar os rumos do Brasil, e principalmente a nós mesmos, de modo a que cheguemos ao dia em que “gangues criminosas” nunca mais sejam eleitas e recebam o aval da nossa irresponsabilidade política para roubar-nos e atentar contra a nossa liberdade!

Aos que só enxergam solução na repetição do movimento de 1964, assevero que as circunstâncias, hoje, são realmente outras e esta conclusão pode ser tirada pela simples leitura das páginas de 151 a 177 do ORVIL, disponível no site “A Verdade Sufocada”.

Quando afirmo que “nenhuma ditadura serve para o Brasil”, não estou aludindo ao sofisma de que o período de governos sob mando de  militares teria sido um regime totalitário, pelo contrário, repudio esta versão facciosa da história, assim como repudio qualquer outra versão desse mal, como forma de corrigir aprendizados ou de demonstrar maturidade, porque ninguém aprende senão pelo estímulo da sua própria vontade de conhecer a verdade quando esta está colocada ao seu alcance

O último recurso, sem dúvidas, tem que ser deixado por último!

Mal comparando, uma intervenção armada na política é semelhante ao efeito do calor excessivo do braseiro sobre uma picanha, fica bonita por fora, mas crua por dentro, tem que voltar ao fogo depois do primeiro corte. O bom assador tem que saber o que está fazendo e ter paciência para esperar que a carne asse como um todo e que não precise, periodicamente, voltar ao fogo!

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

27 respostas para É preciso paciência para assar a picanha…

  1. Antenor Gobbi disse:

    De fato é preciso arte para assar a picanha. Mas quando seus convidados estão famintos não importa se a picanha está mal assada. O que importa é saciar a fome.

    • Aí, amigo, estaremos fazendo o que o PT tem feito. Saciar a fome física e não a subnutrição cultural. Na figura, a picanha é a sociedade. Se nós não soubermos prepará-la, vamos ficar eternamente dependendo de intervenções. É preciso resolver o problema e não apenas submeter a sociedade ao calor de pressões militares periódicas e sistemáticas.

  2. Gastón Maldonado disse:

    Como gaúcho e assador de carne, lhe digo General que para assar uma boa picanha, é preciso escolher bem a picanha a ser assada. De nada impera o assador ser um mestre se a carne está estragada. Um bom assador e uma carne de qualidade são ingredientes imprescindíveis para um bom assado….
    Não vejo essa picanha como uma carne de qualidade.
    O grande problema é que o povo (a grande massa) deu-se por conta tarde de mais na podridão de Brasília e das más intenções dos comunistas para com o Brasil. Somente agora dão-se por conta das reais intenções das alianças com a China e Rússia….
    E por conta disso a grande massa perdeu a paciência do bom assador……

    Abraças General, a vitória é nossa, é questão de tempo.

  3. Paulo Roberto disse:

    Instituições independentes e funcionais…
    A “Presidenta” dentro do Palácio do Planalto distribuindo o dinheiro dos impostos e ministérios em troca de votos para continuar “desgovernando” nossa Nação. O Poder Legislativo infestado de políticos envolvidos em desvio de dinheiro público. O Poder Judiciário com ministros claramente comprometidos. O Advogado-geral da União fazendo defesa de uma “Presidenta” que, no exato momento da defesa, está lesando a União de todas as formas possíveis. Um criminoso exercendo função, em Brasília, de Primeiro-Ministro e disputando com a “Presidenta” quem obtém o mais robusto troféu de “Lesa-Pátria”. Continuo imaginando o cenário fictício: A “Presidenta” na iminência da concretização do “Golpe” (como ela mesma já sentenciou), usando o argumento, até certo ponto irrefutável, de que a Câmara e o Senado não têm legitimidade para julgá-la, em decorrência do inquestionável envolvimento de seus integrantes em diversos crimes, resolve fechar o congresso (ou alguém acha que o PT parece seguir princípios democráticos?) e, neste momento, o Poder Moderador, finalmente, teria que “resolver” o impasse político. Uma coisa tenho como certa: seja qual for o resultado da votação do processo de impeachment, o país irá mergulhar no caos, quem sabe dele surgirá uma nova Ordem…

    • Caro Paulo Roberto, o País está no caos e, seja qual for o desfecho desta investida, haverá tumultos e exacerbação de atitudes das massas antagônicas. Não sairemos desse buraco nas costas de ninguém, mas pelo nosso esforço e sacrifício. Tenho dito e repito: Tirar o PT e a Dilma e colocar o Lula na cadeia é, APENAS, o primeiro passo! Quem estiver imaginando que a campanha será curta, suave e tranquila está muito enganado. Há muito sacrifício e peleias pela frente e não há atalhos…

  4. Ronald Wigg disse:

    Creio que só estaremos em perigo real se o pt conseguir comprar mais votos para impedir o impeachment. Se o impeachment ocorrer tudo o mais vira naturalmente até mesmo a punição a todos os corruptos. O impeachment hoje e como um marco zero, se sair reiniciamos, se não …

  5. O senhor é muito culto e escreve muito bem. Apesar do meu humilde entendimento da conjuntura, o meu conhecimento da sociedade civil faz com que eu não possa concordar com a sua opinião neste momento. Estamos vivendo uma guerra urbana onde a criminalidade praticamente dominou as ruas. Todavia, o senhor merece o meu respeito e minha cuidadosa reflexão sobre as suas palavras.

    Meu irmão é capitão da reserva pelo CPOR, serviu ao país na proteção das fronteiras do Mato Grosso do Sul. Meu cunhado e muitos dos meus amigos e parentes também pertencem à Polícia Militar ou às três forças armadas do Brasil. Respeito muito as Forças Armadas, sei que estamos em boas mãos, sob a guarda das pessoas mais descentes deste país. As escolas militares não foram contaminadas pela decadência do ensino civil, público e particular. É por saber que dentre as FFAA encontram-se as pessoas da mais alta honra e preparação intelectual do país, sobretudo preparo para liderança, que eu desejaria ver o Brasil sob a justa direção de nossos militares para os rumos de um país melhor.

    Foi uma honra escrever estas palavras ao senhor.

    Que Deus te proteja e à sua saúde.

    *

  6. Francisco Machado disse:

    Caro General ,
    estou ‘seco’ para saborear esta picanha!

  7. França - veterano 2BPE disse:

    General.

    Estamos morrendo aos poucos, milhões de pessoas desempregadas, empresas fechando as portas, escolas fechadas e merendas desviadas, hospitais e postos de saúde sem medicos e materiais, valores abusivos de produtos, policiais morrendo todo dia, a saúde está a beira do caos, a segurança não temos mais, pois o bandido hoje é quem manda, temos medo de sair de casa, não se vota nenhum projeto para o bem da nação, estão leiloando todos os cargos para manter os 13 no governo…
    O que fazer meu irmão de farda, o que fazer? esperar mais? o povo não aguenta ficar sem comer, sem dinheiro, sem saúde, sem transporte descente, sem segurança, sem educação sem anda.

    Juramos defender o Brasil, está chegando um limite que nos veteranos vamos fazer por conta própria, e ai a coisa ficará feia…. Chega, Basta.

    Brasil Acima de Tudo.

  8. Adriano Praça de Almeida disse:

    Gen. Paulo Chagas,
    sou ex-aluno da EsPCEx (turma 77/79), mas não prossegui, por razões familiares, a carreira castrense. Mas, mesmo adolescente que era na época, já escutava o seu nome pronunciado com respeito pelos oficiais com quem tinha contato. Hoje conto com 36 anos de magistério, continuo brasileiro e meu sangue permanece verde-oliva, em vez de vermelho.
    Conte com nossos esforços de inteligência, suor e sangue, se necessário for, para devolvermos um País ético, decente e progressista a nossos filhos e netos.
    Aguardamos qualquer chamamento em favor da Pátria. Por duas vezes jurei defendê-la: ainda na EsPCEx e quando iniciado Maçom.
    A tempo, parabéns pelos seus textos e por sua atuação junto aos generais, estejam eles na ativa ou na reserva.
    Adriano Praça de Almeida
    adrianopraca@terra.com.br

  9. Mestre das carnes disse:

    general, general…, cuidado pra não deixar a picanha torrar, o STF pode mandar deferir uma liminar jogando mais carvão na churrasqueira.

  10. 2° Sgt PM Vasconcelos disse:

    Caro general, sou ex fuzileiro naval, turma I/90, e atualmente sou 2° Sgt da Policia Militar da ativa, sei operar muito bem…! Estou a sua inteira disposição para colocar -me nas fileiras de front ao combate, não tenho medo de morrer, não tenho medo, prefiro partir com herói doque viver como um covarde ADSUMUS!

  11. José Renato dos Santos disse:

    Caro Gen. Paulo Chagas
    Tem pessoas que gostam de picanha sangrando, outros, como eu, preferem no ponto e uma terceira leva a deixa assar demais tornando ela seca e esturricada, o que fica intragável. Nós já chegamos num ponto que acho que está queimando. Não sei se o Sr. já viu, mas aqui vai um link de trechos de uma entrevista que Roberto Jefferson deu ao Estadâo, onde ele deixa claro que agora nos sobrou escolher “o melhor bandido”.

    Saudações Verde/Amarelas.

  12. JOSÉ LIMA DE SIQUEIRA disse:

    Caríssimo General Paulo Chagas. Recebi um e-mail compartilhando um manifesto atribuído à V. Exa. e que se inicia com as perguntas “Liberdade para quê? Liberdade para quem?”. Intrigado pelo texto, que subscreveria sem pestanejar, fui para o Google pesquisar e me defrontei com os vários artigos escritos pelo Sr., mas não esse que começa questionando sobre a liberdade.
    De qualquer forma, foi um prazer enorme encontrá-lo na internet e poder ler os últimos escritos postados até ontem sob sua assinatura.
    Tenho 69 anos. Sempre sonhei ser militar desde muito cedo e até passei em todos os testes num concurso para piloto da AFA, mas fui reprovado no psicológico, sob alegação de instabilidade emocional.
    Então cursei Direito e passei em vários concursos públicos, aposentando-me como Procurador do Estado de São Paulo e depois do Banco Central (embora, na forma da lei, receba apenas uma aposentadoria).
    Sempre troquei mensagens com o Clube Militar do Rio de Janeiro e em São Paulo tentei, lamentavelmente sem sucesso, nos últimos anos, reunir um grupo de pessoas ou empresas que pudesse auxiliar na restauração do Monumento a Duque de Caxias, que se encontra completamente abandonado, pichado, servindo de banheiro para os drogados que vivem na área.
    Com esse objetivo, mantive contato, inclusive, com os Generais Campos (então Comandante do 2º Exército) e Hedel Fayad (da reserva), que cuida do patrimônio cultural da instituição. Mas, como disse, sem sucesso. A burocracia, especialmente a do PT, em São Paulo, impôs tantas exigências, que tornaram a empreitada quase impossível. Para tristeza de todos nós, que vemos na figura do Duque de Caxias um exemplo de brasileiro e de soldado a ser seguido.
    Pois bem, caro General. Também comungo de tudo o que o Sr. escreveu em seus artigos e em todas as minhas manifestações pela internet não me canso de dizer tudo o que penso sobre essa quadrilha que tomou conta do país. Mais que isso, faço parte do grupo que entende que não haverá alternativa senão a intervenção militar. Dentro em pouco, veremos esses ‘exércitos vermelhos’ (Stédile, Boulos e a quadrilha toda) fechando estradas, invadindo propriedades, ameaçando autoridades, amedrontando e ameaçando-nos a todos, sem que possamos reagir. Mas, com certeza, reagiremos. Em nome do Brasil e desta pátria querida, em nome de nossos filhos e netos, não hesitaremos em doar, se necessário, nossas próprias vidas, para manter nossa bandeira com as cores verde, amarelo, azul e branco. Jamais vermelha.
    Então, quando nos deparamos com um General da Reserva, escrevendo e falando tudo o que pensa, como o Sr. tem feito, vemos que o povo não estará desamparado.
    Quando a desordem se instalar, por iniciativa desses ladrões vermelhos, temos certeza de que as gloriosas FORÇAS ARMADAS de nosso país cumprirão seu papel constitucional de manter a ordem. E ao lado delas estará o povo destemido deste BRASIL.
    Agradeço a Deus por ter lido seus escritos. Muito obrigado meu General. Eu e meus filhos queremos lhe render nossas homenagens. Que Deus proteja ao Sr. e sua família.
    JOSÉ LIMA DE SIQUEIRA

    • Muito obrigado, Dr José Lima, pelo prestígio da sua leitura, do seu comentário e da sua concordância com os meus desabafos! Respeitoso abraço.

      • JOSÉ LIMA DE SIQUEIRA disse:

        Caro General, obrigado pela gentileza de sua resposta. Foi um belo presente de aniversário, no dia em que completei exatamente 69 anos. Mas pronto, se necessário for, para empunhar a baioneta e lutar por esta Pátria gloriosa ao lado de nossos honrados militares.
        Grande abraço.

        JOSE LIMA DE SIQUEIRA

      • Parabéns, amigo, pelo aniversário e pela disposição!

  13. josé luis martinelli disse:

    parabéns pelos textos! As referencias de leitura do site a verdade sufocada foi muito boa comecei a ver agora o outro ladoda história q eu não conhecia!
    jose luis Martinelli

  14. Rodrigo de Souza disse:

    Prezado general,

    Apesar de o caminho ser longo, há grande esperança para o Brasil: democraticamente temos a oportunidade de vencermos o PT e, futuramente, o projeto cultural de esquerda e toda a estrutura hegemônica de poder do Foro de SP. Contudo, se não haver punição aos corruPTos, Lula e Dilma poderão comprar mais de 1/3 dos deputados: http://www.folhapolitica.org/2016/04/o-governo-esta-comprando-deputado-com.html

    No Brasil o povo tem de pressionar para que deputados não sejam comprados por Lula (e Dilma) … Nos EUA um corruPTo vermelho como o Lula já estaria preso antes mesmo de comprar deputados…

    O Brasil não pode permitir que o nosso futuro seja ainda mais adiado e mais incerto! O Brasil não pode perder esta rica oportunidade!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s