Democracia, algo em que acreditar e um legado a ser recuperado.

Caros amigos

Em 15 de março de 1979, quando assumia o cargo de Presidente da República, o Gen João Batista Figueiredo, jurou que faria deste País uma democracia. Promoveu a abertura e a anistia sem ter que “prender ou arrebentar” ninguém. Cumpriu seu juramento e encerrou o período de governos sob a presidência de militares.

Hoje, passadas apenas três décadas e sob a égide de uma “Constituição Cidadã”, estamos sofrendo uma crise generalizada, a pior da nossa história, que, como os adjetivos indicam, abrange todos os campos do poder de forma nunca vista e que caracteriza, com extrema propriedade, o estrago que a libertinagem, passada ao povo brasileiro com o nome falso de liberdade, fez àquela democracia construída com a competência e até com o sangue do mesmo povo que, a partir do cumprimento das promessas do Presidente Figueiredo, passou a aceitar, acolher e apoiar a falsidade ideológica que, desde então, vem deteriorando aquele legado.

Vemos, hoje, perplexos, um número significativo de brasileiros que, a custa do desastre, passam a desacreditar da democracia e outros que, ludibriados, apesar do caos, ainda se deixam levar pela demagogia, por promessas libertinas de um “estado provedor”, organizado falsamente de “baixo para cima”, sem disciplina, sem deveres e que despreza a virtude e o mérito.

Vemos brasileiros que ainda não se deram conta de que o socialismo é a ideologia dos invejosos, dos incompetentes que não sabem produzir ou criar riquezas, que exploram física, mental e moralmente os que são capazes de fazê-lo e que utilizam-se dos ignorantes para manter acesa a chama da esperança e da ilusão de que a utopia é real e possível.

O Brasil, nesses fatídicos trinta anos, trocou a evolução gradual e consistente por uma transformação radical e destrutiva que desprezou os valores, os costumes, as crenças e os usos sobre os quais foi erigida a sua nacionalidade. Deu no que deu…

Considerando que a maturidade é fruto de experiências positivas e negativas e que nem sempre somos capazes de aprender com a experiência dos outros, podemos e devemos, a partir desta péssima experimentação, levantar a cabeça, olhar para cima, ver de onde caímos e por que caímos, e recomeçar a marcha por outra senda, evitando atalhos, radicalismos e caminhos desenfiados, resignados, mas determinados a corrigir nossos erros, e, principalmente, a recuperar a democracia e a retomar com ela a liberdade para produzir e evoluir em bases sólidas, de acordo com o imenso patrimônio físico e criativo desta terra e sua gente.

O próximo dia 31 de julho será o marco decisivo dessa caminhada, não deixe de participar e de acreditar que a democracia ainda é a melhor e mais segura forma de evoluir e de conquistar a felicidade!

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

9 respostas para Democracia, algo em que acreditar e um legado a ser recuperado.

  1. Nelson Duarte Oliveira disse:

    General!!! O povo não está mais aguentando tantas chicanas do judiciário. Não é possível que um impeacgment se arraste por tanto tempo. Agora, inventaram a chicana da auditoria!!! Como é que pode, um pequeno grupo, auditar em pouco tempo , o que o TCU, o MP e os demais responsáveis, levaram meses , debruçados sobre documentos , avaliar e definir se é válido ou não, o que profissionais especializados e, com a função específica jurisdicional sobre a área diagnosticaram?? Se um “auditor” questionar as tais pedaladas fiscais… que se reduziram a um simples “dolo” ou não… já sabemos o tal do… “IN DUBIO, PRÓ REO, põe por água abaixo, todo trabalho de meses a fio. Não é possível que ainda não tenhamos percebido que algumas Instituições estão aparelhadas e travadas , trabalhando para a destruição do país. E, a única coisa que recebemos de consolo é um … confiar nas Instituições !!! General!!! Se elas estivessem funcionando… o Brasil já estaria livre dos crimes. O quê fazer????

  2. Nelson Duarte Oliveira disse:

    Se o Bolsonaro for condenado por apologia ao estupro, pelo STF… logo, logo… vão denegrir a imagem das FFAA como sendo composta por torturadores (como estão tentando fazer com o finado coronel Brilhante Ustra) e por apologistas ao estupro, conforme estão tentando enquadrar à fórceps, o Bolsonaro. A finalidade, não é somente assassinar a reputação de uma ou duas pessoas mas… enquadrar uma Instituição inteira!!! Alguma coisa tem que ser feita para frear um STF aparelhado pelo executivo do Foro de São Paulo!

    • Caro Nelson, o que, na sua opinião, tem que ser feito?

      • José Scalassara disse:

        Está na hora de mandar a “reserva” avançar. O Brasil precisa de novas leis duras, principalmente a ELEITORAL, que nunca seriam criadas pelos políticos atuais. AVANTE EM MARCHA FORÇADA, JÁ!

      • Nelson Duarte Oliveira disse:

        Sinceramente… está além da minha capacidade, ter o conhecimento e o poder necessário para saber o que fazer. Esperava que no país , houvesse pessoas preparadas para não permitir que certas coisas acontecessem. Ordem e Progresso, não podem estar nas mãos de inimigos pois, o objetivo dos mesmos , são a desordem e o retrocesso. Se a ditadura do Judiciário é um fato… entregamos, tal qual na Venezuela, os destinos da nossa nação, ao crime organizado. Mas… a única coisa que vejo, são pessoas resignadas, engessadas, frágeis e, permitindo a discricionariedade dos doutores da Lei, em interpretar e moldar as leis , às vezes, distorcendo o que está escrito. Como chegamos a esse ponto??? Não sei!!! Mas… sinceramente, acreditava que houvesse quem soubesse.

      • Caro Nelson, chegamos a este ponto porque o povo brasileiro equivocadamente assim quis.
        Eu não vejo pessoas resignadas, engessadas e frágeis, até por que, não convivo com elas. As pessoas com quem convivo, compartilho e aperfeiçoo o meu pensamento são o oposto da sua descrição.

  3. Clayton Kikugawa disse:

    General Chagas,

    Sei que se tornam difíceis as palavras nesse momento, e que a esperança nos falta, porém lembremos da paixão de Jesus Cristo:

    Enquanto Jesus padecia na cruz, veio-lhe o rabino e disse-lhe:
    – Se és o filho de Deus, Desça da Cruz. Disseste que em três dias derrubaria o Templo e que em outros três o reergueria.
    Jesus, em sua aflição e dor responde:
    – Pai, perdoai, eles não sabem o que fazem.
    Em outra passagem da paixão, anterior a essa, BARRABÁS fora liberto pelo povo, que pedira ao condenação do nazareno.

    VAMOS LUTAR PARA REERGUER O TEMPLO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s