A negação da “burrice”

Caros amigos

Ninguém é obrigado a participar de manifestações, ou, até mesmo, a acompanhar o que se passa na vida pública do País. Conheço pessoas que dão tão pouca importância a este assunto que sequer comparecem às eleições.

É um direito individual que deve ser respeitado e ao qual não cabe crítica. São pessoas que independente da interferência positiva ou negativa do governo sobre suas vidas, preferem vivê-las da forma como lhes é possível, sem o estresse de conhecer a qualidade da gestão pública ou das oportunidades que lhes são oferecidas ou suprimidas.

Nelson Rodrigues dizia, com propriedade, que “toda a unanimidade é burra”, o que é importante para lembrar-nos de que é preciso respeitar e valorizar a opinião dos outros, contrária ou simplesmente divergente da nossa, pois são eles que nos livrarão da “burrice”.

É no entrechoque que as ideias e os ideais se aperfeiçoam, portanto, debater e rebater opiniões, com urbanidade e boa argumentação, também é importante, porque aqueles que assim procedem se obrigam a pesquisar, a aprofundar e a consolidar conhecimentos.

No último dia 13 da março tivemos programadas e realizadas manifestações de pessoas que julgam necessária uma intervenção militar para tirar o Brasil da crise em que se encontra. Não pactuo com esta precipitação, mas, coerente com o que disse acima, respeito o direito de assim pensar e o empenho dessas pessoas para convencer outras a aderir à solução militar.

Na manhã de hoje, 14 de março, sindicatos e integrantes de movimentos ditos sociais (CUT, MST, Via Campesina e outros) protestaram, em várias cidades, contra a proposta de reforma do Sistema de Previdência Social apresentada pelo governo. Em algumas dessas manifestações houve invasão e depredação de prédios públicos, interrupções de trânsito e do transporte público e até confrontos com a Polícia. Independente da validade ou não do tema da mobilização, o procedimento é absolutamente condenável porque atenta contra o direito e a propriedade alheia.

Para o próximo dia 26 de março, um terceiro grupo programa outras manifestações a favor e contra fatos políticos e judiciários em curso no País. Este seguimento da sociedade, tradicionalmente, tem saído às ruas aos domingos, de forma pacífica e ordeira e tem merecido o respeito daqueles que julgam inócuas as suas pautas.

É interessante notar que no entrechoque de ideias entre os três grupos citados, os quais chamarei de “intervencionistas”, “esquerda sindicalista” e de “impichmistas” (ou “institucionalistas”), há temas e palavras de ordem coincidentes e, mesmo internamente, não há unanimidade de pauta.

Os “intervencionistas”, por exemplo, divergem entre si quanto a forma e a oportunidade para agir, há os que advogam pela pena de morte por crimes políticos e os que são contra, há os que querem a ação militar “já” e os que preferem esperar por uma iniciativa dos militares. Coincidindo com a pauta da “esquerda sindicalista”, este grupo tem como palavras de ordem o “Fora Temer” e a negação à proposta de reforma da Previdência Social.

Os “impichmistas”, por seu lado, acreditam em uma solução política de longo prazo, mas, tanto quanto os “intervencionistas”, têm plena confiança no discernimento e no patriotismo das FFAA para assegurar o respeito ao processo democrático. Entre si, no entanto, este grupo diverge quanto ao assunto da previdência, há os que são contra e os que são a favor da proposta governamental.

Tanto os “intervencionistas” quanto os “impichmistas” diferem da “esquerda sindical” no que se refere à forma como se manifestam. Os primeiros de forma veemente e ordeira e os últimos de forma radical e destrutiva.

Em que pese às minhas própria convicções, tudo isto é muito bom e importante porque enseja os debates, a participação, novas experiências – positivas e negativas -, o aperfeiçoamento político da Nação e a negação da “burrice”!

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

8 respostas para A negação da “burrice”

  1. Clayton Kikugawa disse:

    Caro General,
    O que se segue à avalanche de escândalos e aviltamento da Constituição Federal, pelos BANDIDOS do STF (me recuso a chamá-los de juízes, são sim assassinos e algozes do povo), não enseja DEBATE ALGUM. O tempo do debate ACABOU, por uma simples razão: os três poderes, principalmente o STF como representante do judiciário, NUNCA ouviram e NUNCA vão ouvir a pauta da sociedade, já que isto, os colocaria prostrados diante de seus crimes e com seus pescoços na guilhotina. Enquanto debatemos, caro General, toda essa imundice já sabe exatamente o que tem por objetivo. Pra piorar, não podemos SEQUER, DEMOCRATICAMENTE eleger nosso candidato que está em via de ter sua candidatura impedida por uma decisão ANTI-CONSTITUCIONAL, assim como foi o fatiamento da pena da presidente Dilma, que deveria, segundo a lei de improbidade administrativa ter suspensos o seu direito de pleitear qualquer cargo público durante 8 anos. Não dá mais para esperar a sociedade entrar em acordo. Isso é como esperar que o Cristo Redentor desça do pedestal e venha arrebatar os canalhas dos três poderes. Sinceramente e respeitosamente, não concordo com dar tempo ao tempo. Temos visto a quantidade de refugiados que entram aqui e agora sob a batuta do terrorista Aloísio Núnes (vulgo Mateus) estão pra serem abertos os portões da frente, para a entrada de terroristas advindos do oriente médio. Não dá mais pra esperar e ver que o PSDB tem um candidato que finge ser conservador para recuperar os votos para si e deixar tudo como estava. Se é pra aguentar tudo bem. Mas eu e a maioria do povo NÃO CONCORDAMOS COM DEBATER COM BANDIDOS, vide os movimentos a favor da revogação do desarmamento. Por fim, temos agora que aguentar o fato de que estamos sendo envenenados por METACAPITALISTAS financiados COM O DINHEIRO DO NOSSO SUOR, os quais deveriam responder por crime hediondo, sendo que TODOS no ministério da agricultura estão sob suspeita e em todos os orgãos e agências reguladoras onde estão lotados o que a de pior na raça humana. Me desculpe o tom pessimista porém, ninguém está se negando a lutar. O povo tem que ter uma nova chance, ainda que seja pela força. Abraço.

  2. Jorge Alberto Escosteguy disse:

    Prezado General:
    Reitero a imagem:
    O nosso Brasil está com câncer. No cérebro. Ainda não é terminal, ainda tem cura, mas a cada dia que passa o quadro degenera.
    Os procedimentos atualmente vigentes recomendam extirpação cirúrgica, radio, quimio e restrições diversas ao doente até a completa recuperação.
    Todos os parentes e pessoas que por ele tem afeição esperam que estes procedimentos sejam aplicados e confiam na equipe médica, mas a aflição é grande, pois parece, às vezes, que o doente está sem o atendimento adequado.
    E o pior, algumas vezes parece também que a equipe médica habilitada aos procedimentos não está interessada na cura do mesmo.
    Diz a experiência consolidada que, nestes casos, quanto antes o tratamento for aplicado, maiores são as chances de sobrevivência do paciente.
    O que mesmo estamos todos esperando?
    A conta da funerária?
    Um abraço.

  3. José Scalassara disse:

    Caro General: responda-me na “lata” (como a Kaiser) – Vá que o Luladrão consiga vencer as eleições. A economia e o povo do Brasil não aguentarão mais 4 ou 8 anos de PT. O Brasil afundará. AS FFAA REALMENTE DEIXARÃO O APEDEUTA ASSUMIR E ACABAR A LAMBANÇA QUE COMEÇOU??? (Que resposta danada será essa…)

    • Caro amigo, se ele vier a vencer as eleições dentro das regras e com lisura, será porque o povo brasileiro assim deseja, portanto, embora lamentando o resultado, não vejo razão para um GOLPE MILITAR à revelia da vontade do povo e da lei vigente no País. É danado e triste, mas é como penso e lhe respondo!

      • José Scalassara disse:

        Obrigado pela resposta, mas, convenhamos, não seria assim tão à revelia do povo. Pena que os institutos de pesquisa não tenham a coragem de perguntar sobre uma intervenção militar… pode ser uma surpresa nacional. Vem aí anistia a caixa 1, caixa 2, caixa 3, lista fechada, fundo partidário, financiamento público para os POLÍTICOS PODRES, Gilmar Mendez mancomunado com Renan, Jucá, Maia e Temer, o Moro vai condenar e o STF, futuramente, vai aliviar, Lula e Dilma difamando o Brasil no estrangeiro. O senhor sabe do que eu estou falando……é do fim do mundo. ELES ESTÃO DANDO UM GOLPE NO BRASIL LEGISLANDO EM CAUSA PRÓPRIA!

  4. Que horror, estamos condenados……….
    o Lula ganha essa de camarote,,,,,,,,,,,,,,,,,,só quem vive no meio do povão conhece esse povão, e o lula os conhecem muito bem…..
    Lulinha paz e amor ano que vem de novo…….
    E viva a constituição, a grande lei moral do país dos patriotas….

    obrigado…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s