A história hoje é outra.

Caros amigos

Em abril de 1964, três quartos do Congresso aplaudiu o movimento das tropas, destituiu Jango Goulart e, de acordo com a Constituição vigente, empossou o Presidente da Câmara, Deputado Ranieri Mazzilli, na Presidência da República e, em 15 dias, elegeu o Marechal Castello Branco para o cargo de Presidente da República, sob aclamação quase unânime do povo brasileiro.

E hoje, é possível imaginar-se que algo semelhante possa acontecer?

No lapso de 50 anos o inimigo se reorganizou e se fortaleceu, política e ideologicamente, enquanto quase todos nós permanecíamos mudos e contemplativos.

A história se repetiu apenas no que diz respeito ao comportamento da esquerda, permanentemente obcecada e focada em seus objetivos estratégicos, operacionais e táticos, recriando-se e aperfeiçoando-se a cada fracasso, entendendo e demonstrando que essa luta não tem fim, porque é um entrechoque de vontades e não de forças.

Esse é o ensinamento e a circunstância dessa nova etapa da guerra e não é, portanto, mais do mesmo!

É preciso entender que se as “aproximações sucessivas” conduzirem à anomia e as FFAA se julgarem na obrigação de agir, haverá muito mais sangue do que o das 60 mil vítimas anuais da violência, porque, dessa vez, somam-se aos interesses globalistas, políticos e ideológicos, os interesses do crime organizado, local e internacional.

Nessa etapa e nas atuais circunstâncias as atitudes do POVO têm mais poder e importância do que o das armas.

É necessário que os derrotemos onde eles estão ainda fortes, no terreno das ideias, usando a força da razão, da vontade e da nossa determinação a ser demonstrada nas manifestações de rua, no Congresso, nas Assembleias, nas eleições, no campo, nos Tribunais, nas escolas, nas universidades e nas fábricas!

Nós somos a maioria, temos os melhores argumentos e o respaldo da reserva mais poderosa que uma nação pode ter. Temos que entender, de uma vez por todas, que a melhor hipótese para o inimigo é que empreguemos de forma inoportuna e que desgastemos, física e moralmente, os meios que só nós dispomos, o maior dos trunfos, as nossas Forças Armadas.

A próxima e decisiva batalha está logo à nossa frente, marcada para os dias 3 e 4 de abril. Trata-se de reduzir um supremo e subvertido fortim, neutralizando-o com os argumentos da lei, do direito, da coerência e da isenção que a ele cabe, em última instância, praticar, fazer respeitar, preservar e fortalecer, mas que seus integrantes insistem em desmoralizar.

Nosso objetivo principal neste momento é impedir mudanças na lei e colocar atrás das grades um chefe de organização criminosa já julgado e condenado a mais de 12 anos de prisão que, com o respaldo desse supremo fortim, tem circulado livre e debochadamente por todo o território nacional, contando mentiras, pregando o ódio e a luta de classes.

Nosso objetivo é a palavra de ordem que ecoa pelo Brasil: “LULA, TEU LUGAR É NA CADEIA!”

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

6 respostas para A história hoje é outra.

  1. Soraya Leal disse:

    Viva!!! HC vencido. Mas, a prisão de Lula, o afastamento dele das eleições é o suficiente para reverter a situação atual do país??? Ficou claro para todos os brasileiros que o poder do Exército, através do pronunciamento do General Villas Boas, é real e verdadeiro. Particularmente, senti-me segura e a brasileiridade de infância, ferveu em meu sangue (saudades de Emilio Garrastazu Médici). Mas, as açoes comunistas continuam se espalhando pelo país, está já enraizada como um cancer, e prisão de Lula nada muda isso. O que o Senhor nos diz sobre tal!!!! Alimente nossa esperança quanto ao retorno da moralidade, da ordem e do progresso.

  2. Giovani Dias disse:

    Prezado General
    Hoje realmente a história é outra, estão zombando da falta de força que outrora tivemos.
    Hoje (6/4/18) que seria o dia da virada do brasil em relação a impunidade com a prisão do maior criminoso que este país já teve, o dia todo assisti pela televisão este criminoso rodeados por outros criminosos zombando da justiça!
    Se isto não for “A pátria Amada sendo Ultrajada” nada mais será.

    • Prezado amigo, “no lapso de 50 anos o inimigo se reorganizou e se fortaleceu, política e ideologicamente, enquanto quase todos nós permanecíamos mudos e contemplativos”. Onde é que eu e você estávamos enquanto eles se fortaleciam e destruíam os nossos valores? Hoje há milhares de brasileiros que amam o ladrão que os enganou, roubou e deixou roubar, não há como negar que a história hoje é outra e não foi a ponta de baioneta que ela chegou a esse ponto, também não será a força que ela será corrigida. É como penso.

  3. Arnaldo Tomazetti disse:

    Caro General, moro no interior de São Paulo, fui em praticamente todas as manifestações em São Paulo e algumas em brasília. Me lembro de uma particularmente, dessas de Brasília, foi no dia agendado de 15 de novembro de 2015. Naquela ocasião nossa manifestação era pelo impeachment. Me lembro perfeitamente que larguei meus afazeres e sai de casa dirigindo o dia todo na sexta anterior ao 15. Ninguém quis ir comigo, mesmo eu bancando o combustível, umas dezenas de pedágio, hospedagem, etc . Pois bem, cheguei em casa da terça seguinte, mas l´pa em Brasília havia um muro de soldados armados e paramentados, esses da polícia legislativa…ninguém conseguia se aproximar a cem metros daquele penico. No entorno quem fazia a segurança dos ladrões era a polícia militar. Não ví ninguém do exército, mas se lá estivessem, certamente estariam protegendo aquela ralé. E nós lá com a cara e a coragem, e do outro lado escudos, gases, pimentas e armas. A sensação de impotência e de lascar.
    No fim o que aconteceu? A Dilma foi deposta e arranjaram uma jabuticaba colocando o Temer e salvando a Dilma, que ao que parece vai continuar assombrando, agora o senado, e quem sabe no futuro o Brasil novamente.
    Num comentário anterior o senhor me respondeu que nós povo, não devemos terceirizar as tarefas. Eu lhe pergunto agora…não é o contrário, não são as FAAs que estão terceirizando a tarefa de moralizar a nossa pátria? Vamos conviver o resto da vida sendo comandado por criminosos? Agora eles querem de qualquer jeito recolocar o larápio na presidência. Nem preciso te falar o que vai acontecer, já está tudo aparelhado agora, imagina depois!
    Já disse e repito, as FAAs precisam nos ajudar, o senhor vai se surpreender quando 80% da nação marchar ao vosso lado! Ademais, sou reservista, com 62 anos, mas á disposição da minha amada pátria, sempre!

    • Caro Arnaldo, você pergunta: “Vamos conviver o resto da vida sendo comandados por criminosos?” Eu respondo: Não sei, depende do que o povo quiser. Não foram as instituições militares que os colocaram lá…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s