Carta aberta ao Exmo Sr Ministro Gilmar Mendes

Matéria jornalística dá conta de que o senhor repudia as “manifestações” do Comandante e de outros oficiais generais do Exército Brasileiro. Considerando a credibilidade das Páginas Eletrônicas que publicaram a matéria e não encontrando qualquer posicionamento contrário, conclui ser verdadeira.

Assim como o senhor, tenho o direito democrático e republicano de me expressar e digo, em alto e bom som, que a liberdade de expressão é uma garantia constitucional claramente definida na Lei 7524/86 que, em seu artigo primeiro, estabelece que “é facultado ao militar inativo, independentemente das disposições constantes dos Regulamentos Disciplinares das Forças Armadas, opinar livremente sobre assunto político, e externar pensamento e conceito ideológico, filosófico ou relativo à matéria pertinente ao interesse público”. Assim me comporto.

Os militares são homens sérios e responsáveis, Sr Ministro, e não se manifestariam se a situação no País estivesse normal, se não estivéssemos vivenciando uma avalanche de denúncias sobre desmandos, corrupção, instabilidade jurídica e incitações a crimes, entre outras agressões à normalidade da ordem, com envolvimento direto de autoridades dos Três Poderes e outros cidadãos que já ocuparam os cargos mais elevados da administração do País.

Somam-se a tudo isso esdrúxulas discussões entre Ministros da Corte Suprema com acusações mútuas de condutas antiéticas que mereceriam, em qualquer outro lugar do mundo, rigorosa apuração.

Ouso sugerir a Vossa Excelência que mande fazer uma pesquisa para verificar se o Povo está tranquilo e em paz e se acredita e confia nas mais altas autoridades da República.

Creio que a resposta será um retumbante não! Pois, faz muito tempo que as instituições nacionais estão fora da realidade, dissociadas dos anseios do Povo, dando a lamentável impressão de que trabalham para outros patrões, talvez alienígenas.

Se a última esperança de salvar a Nação do caos, depositada pelos brasileiros nas mãos dos Ministros do STF, está desmoronando, onde estará a salvação?

Estamos na fronteira entre a desordem e o caos total e o limite está bem à nossa frente. O Brasil está perdendo o rumo, corremos o risco de ver a baderna se instalar, com sérias consequências que certamente desaguarão nas responsabilidades constitucionais das Forças Armadas,  última reserva física e moral da Pátria.

Embora VExa não queira enxergar, é bom saber que ainda existe um grupo de cidadãos que ama o Brasil e que por ele dará a vida se for preciso!

Com a omissão do Supremo diante do caos, restarão, apenas, as Forças Armadas e isso não é ameaça é fato real!

Os Chefes militares sabem, Sr Ministro, que o emprego da força das nossas Forças para o restabelecimento da ordem interna não será sem traumas e essa é a diferença entre elas e as demais instituições republicanas.

O Povo confia nas Forças Armadas – seu último baluarte – e o General Villas Bôas, sabendo disso, simplesmente tranquilizou a Nação, renovando, de forma concreta, o juramento que todo militar presta perante a Bandeira Nacional, assegurando-lhe que o Exército compartilha do anseio de todos os cidadãos de bem e que repudia a impunidade, respeita a Constituição, deseja a paz social e a Democracia e se mantém atento às suas missões institucionais. Nada mais simples, oportuno, democrático, republicano e constitucional!

A História comprova que o Exército Brasileiro é o Povo fardado, portanto, Sr Ministro, pense melhor antes de manifestar-se a respeito dele ou de seus Chefes, porquanto, diferentemente do Supremo Tribunal Federal, eles têm e merecem a confiança daqueles que lhes confiaram até as suas mais poderosas armas!

Respeitosamente

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Carta aberta ao Exmo Sr Ministro Gilmar Mendes

  1. Doralice Tavares de Oliveira Goms disse:

    Apoiadíssimo General!

  2. Alexandre Pereira de Bakker disse:

    Bravo General, bravíssimo!!!!

  3. Enio Costa Lacerda disse:

    Saudações, General Chagas.
    Assim como muitos que compartilham deste canal, corroboro com suas colocações. Estamos caminhando, a passos largos, para uma desastrosa convulsão social.
    Se nos idos de 1964 combatemos um inimigo externo, hoje nos vemos diante de uma forma covarde de agressão social, cuja semente foi plantada ainda no governo de Leonel Brizola no Rio de Janeiro, assim como em outras partes do Brasil,como consequência da anistia politica que permitiu a volta dos marginais que assumiram o comando do País..
    A família foi destroçada paulatinamente nas escolas e universidades, nos centros acadêmicos e nos sindicatos. As Instituições de Controle, como as Policias Militares foram desmanteladas e alguns de seus integrantes cooptados pelo crime. O desarmamento da população, que considero uma estratégia para reduzir o poder de reação do Cidadão, tal como ocorreu na Venezuela, deu aos criminosos a tranquilidade para agir.
    De fato, recolocar a Nação nos trilhos da paz social custará caro. Será necessário levar ao “crime” o pavor, o pânico que este nos impõe. Se a opção é pela criminalidade, o indivíduo deve saber que, cedo ou tarde, seu novo endereço será uma penitenciária.
    Uma ação extrema das Forças Armadas na direção da Ordem Institucional demandará, no mínimo, vinte anos para mostrar seus primeiros resultados práticos, para corrigir trinta e dois anos de desmandos correntes.
    Mas, como acreditamos na Brigada Paraquedista: “O possível já foi feito. O impossível, faremos da melhor maneira possível”.
    Meu respeito. minha consideração; minha admiração.

    Brasil, acima de tudo!

    Enio Lacerda

  4. Cláudio Tadeu Fagundes disse:

    Caro General

    A maioria dos representantes dos poderes aparelhados e corrompidos, somados aos sequitários ideológicos, espalhados por suas áreas costumeiras de domínio, sempre se uniram na tentativa de desmoralizar e desqualificar os representantes das nossas Forças Armadas. Mas, eu e, com certeza, a maioria absoluta dos brasileiros, nos sentimos representados nas palavras do comandante. Por isso, parabenizo o senhor por esse sábio e necessário recado àquele ministro.

    Há de se estabelecer uma linha limite clara atrás da qual a desolação moral e o império do crime, dominantes em nosso país, encontrarão um vigoroso BASTA.
    Creio que o comandante começou a mostrar isso. Assim desejo.

    Um grande abraço.

  5. jorge alberto escosteguy disse:

    Prezado General:
    Lúcido, como sempre.
    Um abraço.

  6. Aristides disse:

    Sr. General,
    Infelizmente o caos já está instalado neste País. Um exemplo é o Rio de Janeiro, pois a partir do anúncio da intervenção, a criminalidade deu demonstração de força e desafio, pois tem certeza na impunidade.
    Diante do caos instalado no nosso país, não vejo outra solução que não seja a higienização de Brasília. Porque utilizo esse termo, pois é através da higienização que iluminamos os vermes.
    Porém o risco da intervenção é que os ratos e gatos irão ser os maiores apoiadores para tirar vantagens.
    Muito embora contra uma intervenção militar, porém não vejo outra solução diante da situação atual.
    A queda de Brasília tem de ser nós mesmos moldes da revolução francesa.
    Um abraço
    Aristides Taborianski

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s