Um pigmeu entre gigantes

Caros amigos

No início do mês passado, fui convidado pelo Comandante do Exército, Gen Villas Bôas, a acompanhá-lo em uma visita oficial ao Regimento de Dragões da Independência, onde um Oficial da Reserva (R2) seria recepcionado.

Tratava-se de atender ao pedido de alguém que tivera o privilégio de aprender as táticas elementares da Cavalaria e de conviver, por algum tempo, no salutar ambiente de um regimento e de ter feito contato com os valores, as virtudes e os princípios que norteiam a vida castrense.

O Exército como um todo e a Cavalaria em especial, são instituições apaixonantes e marcantes para quem tem a oportunidade de conhecê-los mais de perto.

Neste contexto, para aqueles que cursaram o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo (CPOR/SP), no tempo em que a Cavalaria era a cavalo, sobressai de importância o antigo 17º Regimento de Cavalaria, sediado em Pirassununga (SP), hoje mecanizado e aquartelado em Amambai (MT).

Foi para relembrar seus tempos no “17”, onde estagiou, que o 2º Ten Cav (R2) Ricardo Lewandowski, hoje Presidente do STF,  solicitou uma visita ao quartel do “1º de Dragões”. Nada mais justo e lógico para quem conheceu o agradável sabor da vida agitada e alegre de um Regimento de Cavalaria.

O roteiro da visita incluiu uma magnífica demonstração do treinamento aplicado aos cavalos e aos Dragões para habilitá-los ao emprego nas operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

O Ten Lewandowski, como era de se esperar, ficou realmente muito impressionado com o que viu em termos de motivação, capacitação, destreza, disciplina, coragem e vigor físico da tropa e dos animais.

A visita foi encerrada com um almoço no Salão Nobre do Regimento, ocasião em que o Gen Villas Bôas presenteou o visitante com uma placa de madeira na qual estava fixado um estribo.

O Comandante do Exército fez questão de frisar que se tratava do estribo do lado esquerdo, o do “lado de montar”, e alertou o homenageado, agora não mais o Tenente de Cavalaria, mas o Ministro Presidente do STF, para o fato de que o do lado direito estará sendo empunhado pelo Exército Brasileiro, para evitar que a sela vire no momento de montar, garantindo a firmeza na tomada de assento na sela.

Complementando, o Comandante justificou o sentido figurado da gesto, dizendo ao Ministro que ele, no exercício de suas elevadas funções judiciais, terá sempre o Exército à sua direita, vigilante e atento, para garantir o cumprimento da lei e o respeito à ordem pública e aos preceitos constitucionais.

O Ministro recebeu e entendeu a mensagem, agradeceu a lembrança e disse, com ênfase, em seu discurso de agradecimento, que a Suprema Corte brasileira, a exemplo das FFAA,  é uma instituição de Estado e não de governo, ou seja, comprometida, antes de tudo, com o Brasil e não com governos de ocasião!

Hoje, depois de ter assistido à tramoia dos integrantes daquele supremo tribunal de justiça para favorecer, no processo de impeachment, o governo que o aparelhou, sinto-me autorizado a pensar que houve falha na avaliação do Aluno e do Tenente Lewandowski nos indicadores relacionados ao compromisso com a verdade, fundamento da moral cavalariana e do Exército de Caxias!

Se, por um momento, encontrei no Presidente do STF identidade no amor e na admiração à Cavalaria, hoje, rechaço este sentimento, porquanto, de fato, enquanto esteve entre nós, no CPOR e no “17”, não passou de um pigmeu entre gigantes, o que justifica ele ter imaginado que, voltando a um quartel, na posição que ocupa, poderia equiparar-se àqueles que o devem ter humilhado com sua imensa superioridade moral!

Gen Bda Paulo Chagas

Anúncios
Esse post foi publicado em Atualidades. Bookmark o link permanente.

17 respostas para Um pigmeu entre gigantes

  1. Flávio Rodrigues disse:

    Definitivamente, General, não se deve atirar pérolas a quem delas nunca perceberá a beleza.

  2. Clayton Kikugawa disse:

    Aguardamos ansiosos o desfecho dessa batalha entre o legislativo e o judiciário, onde os agentes evidenciam claramente seu posicionamento. Porém, particularmente no caso do Gen. Villas Boas, confesso que algumas de suas atitudes anteriores me deixaram perplexo. A sua trajetória como adido na China comunista, e algumas de suas declarações na imprensa passavam uma certa indiferença em relação à política. Talvez, o distanciamento que um comandante deva ter dos atores e instituições, seja confundido com aprovação ao governo. Espero que eu esteja errado e que essa atitude do General seja uma tendência de todos os militares. Fico contente em saber do episódio e agradeço ao general por compartilha-la conosco.

    Bom fim de ano e que deus abençoe.

  3. Lusia Angelete disse:

    Ou seja, ele não está nem aí para o Exército!

  4. Ernani disse:

    Belíssimo texto! Já compartilhei no WhatsApp e no Face. O governo, cada vez mais podre!

  5. GILBERTO DE CARVALHO JR disse:

    CARO GENERAL,
    ELE ESTEVE NA CAVALARIA, MAS A CAVALARIA NUNCA ESTEVE NELE!!!

  6. Jorge Alberto Escosteguy disse:

    Prezado General:
    Um belo texto, com superior qualidade literária.
    Já eu, medíocre nestas mesmas qualidades, só saberia chamar um patife de patife.
    Mas, “cada um no seu quadrado”.
    Um abraço.

  7. Jackson disse:

    Ótimo texto Sr. General, o que me preocupa é até quando teremos que assistir o naufrágio do nosso país nas mãos desses políticos.. Já duvido das vias legais e acredito no “Nós contra eles”.

  8. Lamento que apesar de ter passado na caserna, e ser também um R/2, não aprendeu os valores Pátrios. Servir ao Brasil e não se servir do Brasil.

  9. Evaristo Dias Dávilla disse:

    Muito bem, general!
    Uma pequena amostra dos trabalhos do “pigmeu”:

  10. JB. Santos disse:

    Prezado General Paulo Chagas, seria verdade este artigo do site Cristal Vox? Se o senhor souber, agradeço muito suas explicações, sem mais para o momento, um abraço!
    http://cristalvox.com.br/2015/12/20/exercito-em-alerta-falta-de-dinheiro-pode-comprometer-o-nivel-minimo-de-operacao/

  11. Paulo Roberto disse:

    Pouco esforço é necessário para que se descubra, na internet, a trajetória do atual presidente do Supremo. Prefiro acreditar que ele tenha sido convidado, apenas e tão somente, para ser lembrado que a “águia” que paira acima de todos está bem atenta aos rumos da Nação. As inclinações políticas do convidado já eram conhecidas, durante o processo do Mensalão foram ratificadas. Já está bem evidente que Executivo, Judiciário e Legislativo se encontram, irremediavelmente, contaminados.

  12. Vinicius Array disse:

    Perfeit o texto, General. Sempre com muita sabedoria, o Sr. vai ao ponto. E fato que, o STF deu prova evidente que esta viciado em seus,julgamentos onde envolve,o Governo, o PT e todos seus lacaios. Tribunnal Bolivariano, dotado de 80 por centro de “Ministros de Excecao”. Poucos se deram conta disso. A maioria ainda acredita que as instituicoes “ainda funcionam”. Enquanto isso, o Brasil e motivo de,risos e Chacotas na Comunidade Juridica internacional, assim como pela maioria dos juristas nacionais. O STF atual e prova viva ds que o General De Gaule estava certo quando afirmou que o Brasil nao e,um pais serio. Ouso discordar daquele nobre,General (Deus o tenha), pois o mesmo estava errado em parte: O Brasil ja foi sim um pais serio quando governado pelas FFAA. Espero que volte a ser um dia…

  13. Ana Maria Bastos Kagerer disse:

    Chega a ser ridículo essa proteção exagerada ao PT. Como se nós e o mundo todo já sofrêssemos de retardo mental. A

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s